O passo a passo de um banho em seu cavalo

Publicado em 21/09/2016 às 14h33

O momento do banho é uma ótima oportunidade de 'brincarmos' com nosso cavalo. Além da necessidade do banho, ele pode se tornar um lazer para todos, especialmente nos dias quentes. Mas sempre devemos levar em consideração os cuidados que devemos tomar.

Preparação para um banho completo

Primeiro devemos separar o que precisamos: uma mangueira com um bico ajustável, dois baldes, esponjas grandes (em formato de meia-lua), um pote de selante de casco com aplicador, um shampoo suave, uma luva de borracha, um raspador de madeira (mais suave do que o plástico ou metal), um par de toalhas grandes, um banco ou escada e talco ou loção para as pernas do cavalo que tendem a ter pele seca.

Podemos trabalhar sozinhos a maior parte do tempo, mas se o seu cavalo é muito nervoso (ou você é), consiga um ajudante que pode segurá-lo e acalmá-lo com tapinhas e palavras tranquilizadoras.

 Molhando

1. Antes de ligar a mangueira, podemos usar uma pomada, ou óleo, nos cascos do cavalo para selá-los, protegendo-os de absorção de água, o que pode torná-los quebradiços, especialmente em climas quentes.

 2. Agora o molhamos todo (exceto a cabeça), com a mangueira em "chuveiro", trabalhando lentamente dos pés dianteiros e pernas (para garantir que ele está confortável com a mangueira), então sobre o ombro e depois o pescoço e a crina, sempre mantendo o jato de água longe de sua cabeça. Se não há água corrente, enchemos um balde e passamos a esponja generosamente, seguindo a mesma ordem.

 3. A partir do pescoço descemos pelas costas, para baixo nos flancos e patas traseiras e sob seu corpo, incluindo a barriga e área genital (felizmente, a maioria dos cavalos não se importa com um fluxo suave de água nessa região). Finalmente levantamos a cauda, ​​molhamos bem ao redor do ânus e para baixo entre as pernas e depois molhamos com a mangueira sob a cauda. O bom é que mesmo um cavalo nervoso com banho, normalmente se acalma depois que está completamente molhado.

 Ensaboando

1. Colocamos a esponja em um balde vazio, adicionamos água, em seguida, despejamos o shampoo sobre a esponja, adicionando mais água ao mesmo tempo para fazer bastante espuma. Mergulhando a esponja e adicionando água ou shampoo, conforme a necessidade para manter a espuma.

 2. Usando um movimento na direção contrária à dos pelos e espalhando sabão até a pele, começamos a ensaboar o pescoço, depois as patas da frente, costas, flancos, sob o corpo (incluindo atrás dos cotovelos, entre as pernas da frente e área genital) e para baixo das pernas traseiras.

 3. Em torno do ânus e entre as patas traseiras, usamos uma esponja diferente, reservada para essa área, com muita água.

 4. Mergulhamos a cauda no balde para molhar e ensaboar bem. Devemos espalhar o sabão cuidadosamente com os dedos (o pelo da cauda é grosso, para ter certeza que o sabão penetra), até o final da cauda, ​​adicionando água para mantê-lo ensaboado.

 5. Agora voltamos para a crina, certificando-nos de que está bem molhada, despejamos um pouco de shampoo diretamente nas mãos e usamos os dedos (e talvez uma luva de borracha) para trabalhar bem a espuma, até as raízes. Então passamos por cima de todo o corpo de novo, na mesma ordem, com a luva, molhando com frequência e esfregando bem. A luva funciona como uma escova de borracha, deslocando e levantando o pelo solto – e a fricção rítmica estimula a circulação e faz com que o cavalo se sinta bem.

 Lavagem completa

1. Em seguida, vem uma boa lavagem. Com a mangueira (ou uma esponja nova e um balde de água limpa), voltamos a subir pelas patas dianteiras para o ombro.

 2. Mantendo o spray longe da cabeça, vamos trabalhando do pescoço para baixo e na crina, em seguida o dorso, flancos, a parte inferior e as pernas, raspando com a mão livre e aplicando mais água até que esta escorra bem clara (podemos usar a luva também para ter certeza de que não há sabão sob o pelo mais grosso). Devemos ser particularmente cuidadosos para enxaguar a parte das costas (onde os resíduos de sabão poderiam causar irritação sob a sela) e da barriga (onde acumula água e sabão depois de correr pelos flancos) e verificando as pernas cuidadosamente. Mangueira em uma mão, luva na outra – para se assegurar de que os cascos estão totalmente livres de sujeira.

 3. Depois de levantar a cauda e usar a mangueira cuidadosamente entre as pernas traseiras, damos à cauda uma lavagem completa, verificando com os dedos se os pelos da cauda estão completamente livres de espuma, até as raízes.

 4. Para secar o cavalo, primeiro usamos o raspador, começando no pescoço e raspando para baixo no sentido do pelo, usando um pouco de pressão, mas não muita para não se tornar incômodo. Seguimos pela crina, as laterais e a parte frontal do pescoço; em seguida, o ombro, ao longo das costas (não sobre a coluna vertebral, mas para baixo de cada lado), sobre os quartos traseiros, e para baixo e sob a barriga e os flancos. Nessa pequena área do flanco, onde o pelo cresce de maneiras diferentes, viramos o raspador de modo a passá-lo na direção do pelo.

 5. Fica muito difícil usar o raspador nas pernas, então usamos uma esponja limpa, torcendo-a com frequência conforme vamos passando. Então usamos a toalha para secar o corpo, sendo especialmente cuidadosos para secar a barriga e todo o caminho até as pernas. Em um clima quente, as pernas úmidas são propícias a criar bactérias. Então penteamos a crina, mesmo ainda um pouco molhada.

 Lavar o rosto

1. Agora, com o corpo limpo e o cavalo acostumado com o banho, lavamos o rosto e cabeça (em pé sobre um banquinho ou escada para o conforto dele e o seu). Mergulhamos a esponja em água limpa, torcendo-a para que não fique pingando, depois passamos por todo o rosto e a cabeça para molhar bem: primeiro dos olhos para baixo, depois para cima sob o topete (tendo o cuidado de não deixar cair água em seus olhos), atrás das orelhas, pelas faces e depois sob a cabeça.

 2. Em seguida, torcer a esponja com sabão para que ele não pingue e lavar atrás das orelhas, sobre as bochechas e sob os olhos; em seguida, na frente das orelhas, acima dos olhos, e para baixo do nariz, tomando cuidado para que não fique espuma muito perto dos olhos.

 3. Não usamos muito sabão, não é preciso. Se o rosto estiver muito sujo, podemos usar esponja e sabão. Passando por todo o rosto, bochechas, atrás das orelhas e sob a cabeça - com a luva no queixo e na área entre as mandíbulas, que costumam ficar mais sujos. Enxaguamos com um balde de água limpa e uma esponja nova, enxaguando a esponja frequentemente conforme preciso. Despejamos a água desse balde, lavamos a esponja e tiramos a espuma restante, enxaguando de novo com esponja e água limpa para ter certeza de que não resta mais sabão. Em seguida, limpe a área das narinas.

 Retoques finais

1. Terminamos de secar a cabeça com uma toalha grande, para secar bem - incluindo em torno das orelhas.

 2. Finalmente, com corpo e rosto bem secos, podemos usar uma loção ou talco nas pernas do cavalo, que ajuda aos de pele sensível a se sentir mais confortável.

 

Este texto foi adaptado de um artigo publicado originalmente na edição da revista Practical Horseman Abril de 2003.

Enviar comentário

voltar para Arquitetura Equestre

||left||||news b01 c05 bsd|b01 c05 bsd|b01 c05 bsd|news login b01 c05 bsd|c05|b01 c05 bsd|content-inner||news fl