Masterplan / Implantação de haras e hípicas

Planejamento e layout de pastagens

Publicado em 25/07/2017 às 10h06

Talvez uma das tarefas mais difíceis enfrentadas por um novo proprietário na hora de construir uma instalação equestre seja  o planejamento e layout da propriedade. Em artigos anteriores, falamos sobre "Os 5 erros mais comuns ao projetar para cavalos", "Como construir um haras funcional 1, 2 e 3", "Dicas para prevenção de incêndio em cocheiras", "Cercas para piquetes- Qual o tipo ideal?" e "Amônia, fora da minha cocheira 1 e 2". Neste artigo iremos nos concentrar no planejamento e design adequados de pastagens e piquetes. Uma instalação corretamente planejada não só fará o uso mais eficiente da propriedade, mas também facilitará o gerenciamento eficiente de animais, criará um ambiente saudável e promoverá o gerenciamento adequado de manutenção.

Pastagens para cavalos como fazer layout

O primeiro passo no processo de planejamento é obter um plano diretor preciso, para isso é necessário um levantamento planialtimétrico e fotografia aérea, incluindo as seguintes informações:  linhas da propriedade, estruturas e estradas existentes, quaisquer recursos especiais, como lagos, informações topográficas e quaisquer restrições de zoneamento. Uma vez que toda a informação está neste plano, o processo de planejamento pode começar.

Itens a serem considerados no Plano de pastagens dos cavalos:

1. O número de cavalos em cada tropa.

2. O clima afeta diretamente a taxa de crescimento das gramíneas.

3. A quantidade de requisitos nutricionais do seu cavalo fornecida através da forragem.

4. Planejar pastagens para permitir a rotação de piquetes.

Pastagens e layout dos piquetes para os cavalos

Ao considerar o desenvolvimento de sua propriedade para pastagens, uma das principais preocupações principais é "Quão grande eu faço os pastos?". Você deve considerar sua pastagem como um cultivo de capim, produção de plantas, espécies de forragem e as necessidades de fertilidade NÃO são constantes e poderá variar com a temperatura de cada local, bem como a umidade do solo, o período de descanso da planta e a estação do ano. Portanto, a flexibilidade deve ser incorporada em qualquer projeto eficiente de pastagem.

Diretrizes para ajudar no layout do pasto do seu cavalo

1 - Topografia e geografia das pastagens: Os pastos individuais não devem ter encostas com inclinações abruptas; Também é recomendável que nos casos de desníveis significativos os piquetes não sejam orientados para cima e para baixo das encostas.

2- Preocupações ambientais: Dê preferência por manter os cavalos longe de rios, pântanos ou zonas de solo muito úmidas. As áreas úmidas devem ser evitadas porque tipicamente tem presença de maior número de insetos e plantas venenosas.

3- Tamanho do pasto para os cavalos: Devem ser dimensionados suficientemente grandes para lidar com a taxa de estocagem e sistema de rotação. As pastagens de forma retangular tendem a ser melhores para os cavalos pois incentivam o exercício. As pastagens de formato irregular devem ser evitadas para minimizar os riscos de lesão. Qualquer pasto com menos de dois acres por cavalo deve ser considerado apenas para exercício e não fonte de alimentação constante.

4- Locação dos acessos: Evite colocar as porteiras de acesso a pastagens em áreas baixas por conta de acúmulo de água em tempos de chuva. A porteira deve ser grande o suficiente para passarem dois cavalos sem se machucar, portões estreitos devem ser evitados pois aumentam o risco de lesão. Preferencialmente devem estar longe do cantos, mais próximos da circulação.

5- Água: Cochos dentro dos piquetes devem fornecer água sempre limpa e fresca para os cavalos. Para otimizar a estrutura e mão de obra, coloque-os em áreas de acesso de mais de um pasto (no encontro entre eles).

6- Segurança e bom senso: Conceber pastos seguros para os cavalos é primordial. Evite fechamentos que os animais tenham dificuldade de enxergar como cercas de arame liso, ou cercas de arame farpado que possam machucar os animais. Lembre-se, consultar um profissional é sempre necessário, pois gerenciar pastagens é um processo que exige conhecimento, diligencia e dinheiro.

Fontes: WikimediaInfoHorse ; Extension.org

Categoria: Masterplan / Implantação de haras e hípicas
Comentários (0) e Compartilhar

Loteamentos e condomínio fechado com hípica e haras

Publicado em 28/03/2017 às 15h37

Cada vez mais comuns no Brasil, esse tipo de loteamento já são amplamente conhecidos em outros países da America, é o que chamam "comunidade equestre" ou "condomínios equestres", que é basicamente um condomínio fechado com centro hípico e haras que pode ser utilizado somente pelos condôminos ou aberto ao publico.

Com a correria da vida na cidade, muitas pessoas preferem procurar a vida no campo para fugir da rotina urbana, em resposta a esta demanda, há um interesse recente em empreendimentos habitacionais que refletem um estilo de vida construído em torno de cavalos.

Alguns empreendedores nos procuraram para este tipo de projeto, com muitas dúvidas, vamos tentar esclarecer aqui algumas delas e dar um norte para quem pretende fazer um loteamento equestre seja com centro hípico ou haras.

Que tipo de modalidade fazer em um condomínio com hípica ou haras?

Existem inúmeras modalidades de esportes no Brasil que utilizam o cavalo. Começando pelas olímpicas: Salto, adestramento, CCE e Pentatlo (esta ultima menos comum). Entre as não olímpicas praticadas aqui estão o volteio, atrelagem, rédeas, três tambores, vaquejada, laço, enduro, polo e até mesmo passeio para citar algumas das mais comuns. Com tantas opções, qual escolher? A resposta para esta pergunta vai depender da região onde está localizado o seu empreendimento, do publico alvo e qual a finalidade de montar um condomínio fechado com estrutura para abrigar cavalos (por exemplo, a ideia é atrair praticantes de alguma modalidade ou apenas ter um espaço para relaxar, fazer cavalgadas e passeios a cavalos). Para citar algumas características, o polo é um esporte que utiliza pelo menos 4 cavalos por jogador (por ser exaustivo para o animal), ou seja, é necessário ter um poder aquisitivo maior para praticar esta modalidade já que um cavalo tem custo elevado mensal, o que não funcionaria para condomínios que não são de alto padrão. O tambor é uma modalidade mais western e o hipismo uma modalidade mais clássica.

Que estrutura eu preciso para fazer o loteamento fechado com centro hípico?

Falando dos equipamentos necessários para um haras ou hípica de forma a fazer a instalação funcionar, são:

  • Cocheiras: O pavilhão onde estão as baias é que vai abrigar os cavalos.
  • Quarto de sela: Onde deverão ser guardados os equipamentos utilizados no esportes.
  • Farmácia: É necessária uma pequena farmácia para armazenar equipamentos de primeiros-socorros e pomadas, curativos em geral.
  • Area para Duchas: Onde é dado banho no animal, medicado, onde se faz a crina e manutenções em geral no animal. Podem ser cobertas ou descobertas, é recomendável que tenha cobertura para que mesmo em dias de chuva possam ser executadas tarefas (como ferrar o animal por exemplo).
  • Composteira: Área para compostagem de cama (esterco).
  • Depósitos: Feno, cama, grãos, maquinário (trator, roçadeira, rastelo,etc).
  • Embarcadouro: Uma rampa com fechamento lateral para descer com os cavalos do caminhão. Hoje em dia, trailers são muito utilizados e possuem rampa própria, mas ainda é necessário um embarcadouro.
  • Piquetes: Os cavalos precisam ter uma área para relaxar, brincar, descontrair, especialmente se é um condomínio de casas de campo (onde normalmente os moradores vão só de final de semana) e os cavalos ficam "parados" nos dias de semana. Separe uma boa área para esta finalidade.
  • Pista, picadeiro: A não ser que seja um local somente para passeio (e ainda assim é recomendável) é necessário ter uma pista para que os alunos possam montar. O tamanho dela pode variar de acordo com a modalidade de esporte (laço, tambor, hipismo clássico, adestramento, etc.) e o número também.

 Pista de areia, grama, coberta ou descoberta e quantas?

Aproveitando o gancho do último tópico da pergunta acima, esta também é uma dúvida frequente entre os empreendedores que gostariam de fazer um condomínio hípico ou com haras. O número de pistas vai depender do número de modalidades (você pode abrigar mais de uma) dentro do loteamento com hípica, por exemplo, uma pista oficial para tambor tem dimensões diferentes de uma pista oficial para salto, também é difícil praticar as duas modalidades dividindo a mesma pista. A situação ideal é: ter uma pista pequena para os alunos que estão iniciando poderem praticar em um ambiente mais controlado e uma pista maior para os que estão mais avançados. Pistas de grama são recomendáveis somente se o condomínio for abrigar polo ou competições de grande porte de salto. Sobre a cobertura da pista, por ter um custo elevado não é tão comum neste tipo de empreendimento, muitos desejam ter a estrutura indoor mas se assustam na hora do orçamento, acredito que um condomínio mesmo que alto padrão possa ter uma estrutura excelente mesmo sem ter um picadeiro indoor.

Qual a área necessária para abrigar uma hípica ou haras?

Esta provavelmente é a pergunta mais difícil de responder. Isto porque ela pode variar muito (e quando digo isso é muito mesmo) do programa de necessidades do local. Mas posso afirmar que dificilmente você conseguirá abrigar cavalos em uma área menor do que 10.000m², mesmo que seja o que chamamos de manege (uma pequena instalação equestre).

Qual o número de cavalos que meu condominio equestre deve abrigar?

Esta também é uma dúvida frequente, estima-se que cerca de 30% dos condôminos residentes neste tipo de condomínio possuem cavalo. Se a finalidade do loteamento fechado com hípica é apenas para moradores praticarem o esporte a conta é mais simples (levar em conta que cerca de 40% destas pessoas possuem mais de um cavalo), porém, se o condomínio irá abrigar eventos equestres e será aberto a aulas para o público externo, costumo recomendar que as cocheiras comecem com um número pequeno (24 é o número ideal de baias por pavilhão) e tenha previsão de expansão em projeto.

Para citar alguns condomínios aqui no Brasil que abrigam hípica, centro equestre ou haras:

Quinta da Baroneza

Haras Larissa

Fazenda Boa Vista

Terras de São José

 

Categoria: Masterplan / Implantação de haras e hípicas
Comentários (0) e Compartilhar

Instalações para haras, hípica ou rancho - Facilitando sua vida

Publicado em 15/03/2017 às 09h28

Generalização não é uma palavra que se encaixa na hora de construir um haras, há um enorme número de variáveis, tais como: terreno, finalidade ou modalidade do haras, orçamento, clima e por aí vai. Estas variáveis tornam o bom planejamento crítico para o sucesso do projeto.

Planejar uma instalação é refletir sobre quais são suas necessidades dentro daquele projeto e em seguida pensar qual a melhor forma de suprir todas elas de maneira eficiente. A idéia é fazer algo rentável e evitar fazer algo que irá te custar muito mais caro mais a frente.

Todos os problemas dentro de uma cocheira que afligem seu proprietário podem ser resolvidos. Algumas soluções são de baixo custo. Muitas delas não são. Mas lembrem-se de que todas elas tem o melhor custo-benefício se forem planejadas antes de executadas.

Considerações sobre o terreno:

A posição da cocheira para os cavalos deve ser uma consideração cuidadosa. Por exemplo, a orientação do celeiro para o vento e sol deve ser levada em conta. O ideal é capturar brisas de verão para o efeito de resfriamento. Os telhados podem ser projetados para aproveitar a iluminação natural especialmente no inverno, com projeções planejadas para fornecer sombra para um efeito de resfriamento durante o verão. As árvores devem ser estimadas como uma ferramenta de projeto para fornecer sombra e para servir como quebra-ventos, além de proporcionar privacidade. Boa drenagem de água também é essencial para manter uma cocheira saudável, como água parada e áreas lamacentas são propícias para priliferação de insetos e doenças.

Imagem que seu haras passa aos clientes:

Este é um tema que costumo abordar pouco, mas de extrema importância. Alguns preferem ser práticos e pouco planejados, outros preferem que seu haras ou hípica diga algo especial sobre eles. Já parou para pensar na imagem que este local esta passando para seus futuros clientes e proprietários? Um haras bonito pode valorizar seus animais, sua estabulagem e até suas aulas por apresentar uma boa infraestrutura. Já vi muitas estruturas que custaram alto para o bolso do proprietário e no entanto não eram ruins e ineficientes, também já vi estruturas de baixo custo que eram seguras e eficientes. O resultado final depende do planejamento, um haras bonito e bem feito não precisa necessariamente ser caro.

Segurança e saúde dos cavalos:

Levando em conta o fato de que nossos cavalos podem se machucar de maneiras que nunca passaram pela cabeça de nenhum proprietário, a pratica de eliminar tomadas sem proteção, pequenos vãos dentro das baias, bordas e cantos vivos, é básica.

Cocheiras com ventilação natural inadequada são uma das principais causas de problemas respiratórios em cavalos resultantes da poeira, odores e germes que se proliferam pelo ar estagnado tornando o ambiente insalubre.

O principio da ventilação dentro de um pavilhão deve funcionar como o efeito chaminé. O ar quente sobe e é eliminado por uma abertura que deve ficar na cobertura, o problema maior é certificar-se de que este ar irá realmente subir. Para isto, o desenho da inclinação do telhado é um elemento crítico e deve ser calculado com atenção. No Brasil, os telhados não costumam ser tão inclinados, mas é importante que a cobertura esteja no mínimo a 38% para se alcançar o efeito desejado, desta forma irá funcionar como um funil invertido levando o ar quente para o pico ou cume do telhado.

Neste sentido, uma das formas mais comuns e economicas de permitir que o ar escape na parte superior é ter um canal de ventilação contínua em toda face superior do pavilhão. Soluções "mecânicas" de exaustão costumam não ser tão eficientes pois estão sujeitas a falhas e  constante manutenção. As cúpulas que vemos constantemente em estábulos de referência fora do país não são meramente decorativas, elas tem a função de fazer com que o pavilhão funcione como uma máquina de ventilação natural.

Agora que sabemos sobre as aberturas no topo da cocheira, como fazer com que esse ar se movimente no pavilhão? Um dos métodos mais eficazes é ter aberturas em todos os sentidos do celeiro, nas portas de entrada, por exemplo, é recomendável ter aberturas (que podem ser venezianas semi abertas). Além disso, a divisão entre as baias em grelhas, além de permitir o contato visual dos animais e sua socialização, também estimulam a circulação de ar. No sentido lateral do pavilhão também é importante ter a ventilação cruzada, com um rasgo em toda face superior das portas você terá sempre a brisa fresca entrando.

Outra questão importante é a segurança contra incêndios, que em muitas construções são negligenciadas (veja aqui algumas dicas em nosso post anterior). Alvenaria e estrutura metálica não são combustíveis, no entanto, existem muitas outras coisas dentro de uma cocheira que são, como feno, serragem, madeira, fiação elétrica, entre muitos. Não existe um pavilhão a prova de fogo, existem medidas preventivas para este tipo de situação. Mezaninos com depósito de feno, apesar de serem uma solução atrativa para construções que tem um estilo mais romântico, oferecem um altíssimo risco de incêndio, além de comprometerem a ventilação superior.

Questões gerais para construção de uma cocheira

Ao longo dos anos foram estudadas muitas soluções para este tipo de construção que vão desde a madeira até o pré-moldado. A alvenaria tem se mostrado uma ótima solução de custo-benefício, com baixa manutenção e segurança. A principio pode não ser a solução de custo mais baixa, porém, a longo prazo este custo é mais do que diluído em suas vantagens.

Outra grande qualidade de construção de alvenaria é que você pode conseguir qualquer imagem ou aparência desejada. A superfície pode ser revestida com inúmeros acabamentos cerâmicos ou brutos disponíveis no mercado ou até mesmo madeira, se assim o proprietário desejar. Uma opção econômica é a pintura, se for esse o caso, uma pintura epóxi é durável e facilmente limpa.

Para a parte elétrica, deve ser toda embutida ou protegida com eletrodutos, também é importante usar as tomadas com tampas articuladas, que evitarão que a umidade e outros elementos acabem deteriorando as saídas.

Como em todas as outras construções, há um grande número de soluções para a parte do telhado, que podem variar desde uma telha cerâmica, metálica, de fibrocimento. A mais recomendável é a telha tipo termoacústica, que permite um conforto térmico para os animais e ao mesmo tempo tem uma camada de eps que minimiza os ruídos, além de ser mais eficaz contra goteiras e vazamentos de águas pluiviais, por ter uma grande superfície de cobertura e um menor número de encaixes.

Facilitando a vida dentro de uma cocheira

Manter seus cavalos felizes e saudáveis ​​nem sempre é o sonho que pensávamos que seria. E se você trabalha com lotação máxima, pode ser uma aventura que consome todo seu tempo. Mas aqui vão algumas idéias que farão seu trabalho mais agradável:

Concentre os equipamentos (farmácia, quarto de sela, depósito de grãos, duchas) no centro do pavilhão, isso irá facilitar a vida de todos, pois resulta em menos passos para a rotina diária.

Se você tem um grande problema com insetos (isso é maior ou menor em algumas regiões do país) instalar pulverizadores automáticos pode ser uma boa solução e bem menos custosa do que você imagina.

Portas de correr apresentam inúmeros benefícios sobre as portas de abrir, podem evitar acidentes que venham a te custar caro no final. Portas de abrir tendem a ficar no caminho de outras atividades e não são tão fáceis de abrir quando se tem um cavalo na mão. Se você tem uma porta de correr e um carrinho passando ração no corredor ao mesmo tempo, a porta pode continuar 100% aberta. Além disso, os animais tendem a ter mais facilidade em aprender a abrir portas do tipo batente.

Categoria: Manejo e dia-a-dia, Masterplan / Implantação de haras e hípicas
Comentários (0) e Compartilhar

Plantas venenosas para cavalos - Veja quais são

Publicado em 12/09/2016 às 08h58

Dê um passeio através de qualquer piquete e  entre as gramas que você vai encontrar um grande número de plantas diferentes. Videiras pequenas, ervas daninhas, algumas flores silvestres- as chances de que pelo menos algumas delas são tóxicas para os cavalos são grandes. Centenas de plantas venenosas crescem diariamente nas pastagens  "Eu desafio qualquer um a me dizer que eles têm um pasto com zero plantas venenosas", diz Jeffery Hall, DVM, PhD, um toxicologista da Universidade Estadual de Utah.

A boa notícia, é claro, é que a grande maioria dessas plantas representam pouca ameaça aos cavalos. Por um lado, a maioria delas são intragáveis, uma vez que os cavalos que estão enchendo-se de forragem de qualidade dificilmente irão se atrair pelas folhas amargas que povoam seu pasto. Outro fator que protege cavalos é seu tamanho - um animal de 450kg deve consumir quantidades significativamente elevadas de toxinas para sentir quaisquer efeitos.

No entanto, algumas plantas são motivo de preocupação tanto porque mesmo uma mordiscada curiosa pode significar muito. Então vale a pena conhecer pelo menos algumas delas para que você possa elimina-las de suas pastagens ou evita-las em um passeio na estrada, ao longo de cursos d'água.

O cogumelo Ramaria flavobrunnescens causa intoxicação expontânea, a presença é mais frequente em animais que têm acesso a bosques de eucalipto e já é conhecida como "mal do eucalipto". Presente nas regiões Sul e Sudeste do Brasil.

A Conium maculatum conhecida pelo nome comum de cicuta  é uma espécie herbácea pertencente ao género Conium da família Apiaceae. A planta é conhecida por dela se extrair a cicuta, uma potente mistura utilizada na Europa desde a antiguidade clássica como veneno.

Plantas venenosas para cavalos - cicuta

Tetrapterys Multiglandulosa popularmente conhecida como Cipó-preto, Cipó-ruão, Cipó-vermelho, é uma planta perene, presente em todos os estados da região Sudeste. A intoxicação ocorre mais no período da seca, quando os animais passam por restrição alimentar, pois a planta tem baixa palatabilidade, exceto os brotos jovens, que apresentam boa palatabilidade. Mesmo na seca a planta se mantém verde nos pastos, atraindo os animais.

plantas toxicas para cavalos

Lantana spp, a chumbinho, camará, cambará, margaridinha possuí ampla distribuição pelo Brasil sendo descrita nos estados do Amazonas, Mato Grosso, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo, São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul. As intoxicações ocorrem mais situações de escassez de alimento e superlotação de pastagens, após as primeiras chuvas, pois a planta brota mais rapidamente. Os princípios tóxicos são o Lantadene B e Lantadene A. 

planta venenosa cavalo

A Pteridium aquilinum, popularmente chamada de samambaia do campo ou simplesmente samambaia, é uma planta perene, rizomatosa, herbácea, ereta e ramificada, medindo entre 50 a 180 cm de altura.Os cavalos não costumam recorrer naturalmente a esta planta, excepto há quando escassez de erva ou feno. Muitas vezes, esta planta vem misturada no feno, por isso é preciso atenção redobrada.

samambaia venenosa para cavalos

A Palicourea marcgravii, conhecida como cafezinho, erva de rato ou café bravo. É considerada a principal planta tóxica do Brasil – ampla distribuição geográfica, bem aceita pelos cavalos pela pequena quantidade para toxidez, seu consumo excessivo é que preocupa.

plantas toxicas para cavalos

Enterolobium maximum , ou timbauba. É uma árvore frondosa, sem cheiro, de cerne marrom-claro a cinza-rosado. Uma das principais plantas venenosas no norte do país.

A Baccharis cordifolia conhecida por mio-mio também causa problemas, especialmente no sul do país onde já tivemos um surto de intoxicação nas regiões de divisa com Argentina e Uruguai, levando a quadros agudos e fatais em um grande número de bovinos.

mio mio planta toxica para equinos e bovinos

A Senecio spp também conhecida como Tasneirinha, flor-das-almas e maria-mole é uma planta anual, que floresce a partir do mês de outubro e apresenta inflorescências amarelas, comportando-se como invasora de culturas e pastagens nativas. É encontrada na região Centro-Sul do Brasil. Os animais se intoxicam pela ingestão acidental da planta com feno e silagem, pois, a mesma é pouco palatável. Seu principio ativo são os alcalóides pirrolizidínicos hepatotóxicos e causadores de lesão crônica irreversível.

Plantas venenosas para cavalos

Fontes de pesquisa e imagens: http://www.gege.agrarias.ufpr.br/Portugues/Arquivos/Plantas%20toxicas%20de%20pastagens.pdf

http://www.ruralnews.com.br/visualiza.php?id=694

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-736X2006000200005

http://rehagro.com.br/plus/modulos/noticias/ler.php?cdnoticia=1829

Categoria: Manejo e dia-a-dia, Masterplan / Implantação de haras e hípicas
Comentários (0) e Compartilhar

Gestão de esterco em cocheiras 02

Publicado em 13/06/2016 às 19h24

Prevenir poluição de água pelo estrume

Pilha de escoamento.

Qualquer armazenagem de estrume no local não deve contribuir para a poluição da água do solo ou da superfície. Lixiviado é o líquido acastanhado que escorre a partir do conteúdo sólido e drena para a parte inferior da pilha de resíduos;, uma gestão adequada pode evitar a formação de lixiviados. Uma área de armazenamento coberto por exemplo, terá muito menos lixiviado que uma exposta a precipitação. Um obstáculo de concreto com paredes laterais é necessário para conter os lixiviados de grandes pilhas, descoberto. A drenagem de lixiviados para um sistema de tratamento, tais como uma área de infiltração gramada é necessária para evitar derramamento para zonas sensíveis geológica ou socialmente.

Pisos de cocheiras

piso baia de cavalo

O tipo de piso da baia pode determinar o potencial de poluição das águas subterrâneas do estábulo. Concreto, asfalto e pisos de argila bem compactados são considerados impermeáveis ao fluxo de água. No entanto, qualquer que seja o tipo de piso utilizado, é sempre necessária alguma forragem para a cama, assim a urina e qualquer líquido do estrume são absorvidos pela cama.

Para pisos como concreto e asfalto, drenos são recomendados para a remoção de águas residuais, há que se atentar ao dimensionamento adequado da tubulação especialmente em algumas baias são frequentemente regadas e desinfetadas, como baias de parto ou hospitalares. Quando são utilizadas grandes quantidades de água, pisos impermeáveis ​​e drenos são necessários.

O drenos na baia devem ter uma tampa removível além de ficarem no canto da baia para evitar desconforto do animal quando se deita. O piso deve inclinar ligeiramente (3% é suficiente) para o ralo. Uma alternativa é a inclinação do piso para a porta da frente, onde uma calha estreita é posicionada ao longo da parede da frente, no piso do corredor, esta calha deve ter uma inclinação ao longo do corretor em direção aos drenos.

Paddocks para dias chuvosos.

Algumas fazendas possuem piquetes para dias chuvosos, que são espaços para exercício sem pasto. Paddocks sem grama também funcionam bem para cavalos mantidos em área cultivada limitada ou quando as pastagens são replantadas, fertilizadas, ou está descansado como parte do programa de rotatividade de pasto. O ideal é localizar estes piquetes de exercício em terreno elevado com provisão para limpeza da área de estrume e diminuindo o potencial de escoamento. Uma camada de pó de pedra ajuda a diminuir a lama, auxiliando a drenagem, além de proporcionar uma melhor superfície para recolher o estrume.

Manuseio de estrume

Movimento eficiente.

Ao manusear grandes quantidades de resíduos deve-se considerar amplas aberturas (portas). Evite desenhos de estábulos ​​que exigem voltas e passagens estreitas para no percurso do estábulo para a área de deposição de estrume. Para otimizar a eficiência do trabalhador é essencial uma boa iluminação natural e tornar a área de estoques de estrume temporária facilmente acessível a partir de todas as áreas do estábulo. Na maioria dos estábulos, as baias são limpas diariamente e o estrume armazenado em uma área acessível perto do celeiro.

Para evitar a manipulação adicional, os trabalhadores podem armazenar temporariamente o estrume em um veículo, como uma lixeira estrume. Uma vez que as tarefas de limpeza terminem, ou o armazenamento temporário seja preenchido, o estoque é movido para o local de armazenamento a longo prazo ou removido do local.

Situando o armazenamento de estrume

deposito de esterco

As áreas de estocagem de resíduos devem ser acessíveis a caminhões ou tratores. A localização em terreno alto normalmente irá fornecer solo firme bem acima das águas subterrâneas, formando uma base adequada para a instalação de armazenamento e estrada de acesso. Não armazenar o estrume onde o escoamento superficial ou enchentes farão com que nutrientes escoem por enxurradas próximas, também evitar piquetes devido ao aumento da exposição dos cavalos aos parasitas. Maus resultados de drenagem, em condições saturadas levam a acessos lamacentos e poças de água contaminadas. Desviar a água de drenagem superficial e do escoamento dos telhados próximos para lugares afastados da área de pilha. Muitos estábulos e pistas não tem sarjetas, resultando um volume grande de água para escoamento, um sistema de calha e drenos irá recolher e desviar a água longe da fundação do edifício e ignorar a armazenagem de estrume. Lonas ou um teto sobre a armazenagem de estrume pode minimizar a entrada de água da chuva. Não permitir o escoamento poluído para a piscina, já que mosquitos e moscas se reproduzem na área úmida.

Eliminação de estrume

Caminhões de transporte

caminhão esterco

Uma opção de eliminação de chorume é contratar um caminhão que irá remover os resíduos da instalação estável; os resíduos podem ser usados ​​em uma operação de compostagem comercial ou para outras funções em que sua eliminação é de responsabilidade do transportador. Um depósito para despejar os resíduos deverá ser dimensionado de forma que possam ser esvaziados semanalmente, também é importante pensar no seu acesso para os caminhões. Um tanque de concreto ou alvenaria são os mais recomendados para conter qualquer lixiviado.

Outros resíduos

A gestão de resíduos não se limita aos resíduos da baia do cavalo em uma instalação que abriga cavalos. Resíduos médicos (por exemplo, seringas e agulhas), o lixo branco, geralmente tem requisitos especiais de eliminação, assim como fertilizantes e pesticidas e suas embalagens, por vezes, têm restrições para eliminação. Resíduos dos banheiros (esgoto) requerem um sistema séptico ou conexão com o sistema de esgoto municipal. A água cinza, como chuveiros e pias, ou águas pluviais, tem uma possibilidade interessante de reaproveitamento para irrigação de áreas verdes e especialmente pistas de areia. Drenagem e escoamento superficial de asfalto, telhados de edifícios, piquetes sem vegetação, e áreas de exercício precisam ser gerenciados para que seu escoamento não invada cursos de água naturais.

Resumindo..

Ter um planejamento eficiente eficiente para a gestão de esterco traz benefícios tanto para o proprietário como para os moradores do entorno. O tempo gasto em planejamento será uma economia no futuro, diminuindo o esforço em tarefas de limpeza de baia e otimizando o tempo gasto pelos funcionários.

Fonte de referência: Artigo de Eileen Wheeler, professor de engenharia agrícola e biológica. 

Categoria: Estábulos/ cocheiras, Manejo e dia-a-dia, Masterplan / Implantação de haras e hípicas
Comentários (0) e Compartilhar

Gestão de esterco em cocheiras

Publicado em 01/06/2016 às 16h19

A manipulação de estrume é uma condição necessária de gestão de estábulos, certificar-se de que a limpeza e outras tarefas de manuseio de estrume são feitas de forma eficiente pode levar a mais tempo gasto com o cavalo. É importante reconhecer que os cavalos produzem grandes quantidades de estrume que rapidamente se acumulam! Cerca de 12 toneladas de esterco e de cama suja serão removidos anualmente de cada baia (que abriga um cavalo em tempo integral). Devemos considerar cuidadosamente como este material é movido e armazenado para ter uma gestão do estrume eficiente. Retirar o estrume de uma baia é apenas o começo. Um sistema de gerenciamento de dejetos completo envolve a coleta, armazenamento (temporário ou a longo prazo) e eliminação ou utilização. Questões associadas, como o controle de odor, moscas e sua reprodução e impacto ambiental serão abordadas aqui.

o que fazer com o estrume

Práticas de manejo de dejetos dentro das instalações do cavalo merecem atenção especial. Muitas vezes, as cocheiras para cavalo têm pouca ou nenhuma área cultivada para a eliminação de esterco e de cama suja. Várias alternativas para lidar com o estrume incluem a eliminação de terra, o armazenamento para o manuseio futuro, remoção do local estável e compostagem. Alguns estábulos desenvolveram mercados para distribuir ou vender esses resíduos. Em um ambiente suburbano ou rural, a gestão de estrume adequada é baseada em princípios simples que irão ajudar a eliminar os impactos de poluição ambiental e perturbações, tais como odor e moscas.

o que fazer com o esterco do cavalo

Produção de resíduos em estábulos e suas características

Estrume inclui ambas as porções sólidas e líquidas de resíduos. O estrume de cavalo é cerca de 60% de sólidos e 40% na urina. Em média, um cavalo produz cerca de 30kg de resíduos sólidos e 2,4L de líquido total por dia. O volume de cama suja removido é praticamente o dobro do volume de esterco removido, variando práticas de gestão. Planeje-se agora para lidar com este material! Tarefas de um celeiro incluem uma limpeza diária de esterco e cama suja, levando a um fluxo constante de resíduos para manusear. Existem vários materiais de cama para baias e cada um tem características diferentes no manuseio, aplicação de campo, adequação para compostagem e aceitação para as vendas. Disponibilidade e custo de materiais de cama, provavelmente, provavelmente terão a maior influência sobre a seleção do proprietário. As necessidades no manejo de dejetos dos cavalos de pasto são diferentes das dos cavalos estabulados. O estrume depositado no campo é benéfico, uma vez que serve como fertilizante.  Quantidades substanciais de estrume podem se acumular onde os cavalos se reúnem: perto da porteira, bebedouros, áreas de sombra favorita, alimentadores e abrigos. Estas áreas devem ser limpas semanalmente para um melhor manejo de pastagens, controle de parasitas e para diminuir a reprodução de moscas. O esterco recolhido de piquetes e pastagens pode ser adicionado aos resíduos armazenados dos estábulos. O estrume de cavalo pode ser considerado um recurso valioso em vez de um "desperdício". Com a maior ou menor quantidade de material de cama misturado com esterco em resíduos de uma baia típica, o valor fertilizante de nutrientes irá variar bastante.

estrume de cavalo o que fazer

Impacto ambiental

Minimizando Transtornos

Para uma zona suburbana, um problema em potencial inclui a superação de equívocos sobre o incômodo e potencial de poluição das cocheiras de cavalo. Mas algumas pessoas podem ver os cavalos como máquinas de gerar esterco, moscas e odores. Um estábulo operando com um grande número de cavalos numa área de cultivo pode intensificar os problemas e incômodos não observados em pequenos estábulos. Geralmente, de 2 a 3 acres de bom pasto por cavalo é necessário para fins de alimentação animal no verão. Felizmente, uma gestão cuidadosa e atenção intensiva aos detalhes pode superar problemas potenciais de operações com cavalo. Pragas comumente associados à agricultura animal são moscas e pequenos roedores, como ratos e camundongos. Mas são as moscas e odores que estão entre as queixas mais comuns, no entanto a gestão adequada estrume pode ajudar a eliminar pragas agrícolas e odores. É sempre mais eficaz evitar a reprodução de moscas e insetos do que controlar moscas adultas. Eliminando o habitat exigido pelas larvas para eclodir e crescer reduz significativamente as populações de moscas. As moscas depositam ovos em poucos centímetros, no topo de esterco úmido; portanto minimizar a área de superfície de esterco úmido é uma estratégia de redução. Os ovos podem eclodir em menos de 7 dias, sob condições ideais de temperatura e umidade, estima-se que uma mosca pode produzir 300 milhões de larvas em cerca de 60 dias! Para que isso não aconteça, mantenha o estrume o mais seco possível, abaixo de 50% de umidade, a fim de torná-lo menos desejável para a deposição de ovos. Espalhe o estrume em camadas finas durante a aplicação no campo, ou impeça a entrada de precipitação cobrindo a área de armazenamento permanente, eventuais lixeiras ou armazenagem de estrume temporária. 

compostagem de estrume de cavalo

onde colocar estrume de cavalos

Roedores

Lixo, lixeiras, pilhas de madeira velha ou estrume são onde os ratos e camundongos se escondem, por isso é importantíssimo sempre higienizar. Manter as ervas daninhas aparadas em torno dos edifícios para reduzir esconderijos. Sacos de alimento empilhados criam passagens ideais onde os roedores podem comer, se esconder e se reproduzirem. A armazenagem de alimentos ideal é em caixas à prova de roedores, de preferência revestidas de metal ou malha de arame.

quarto de ração cavalos

As áreas sob silos, beliches e baldes são excelentes locais de alimentação para os roedores. Pisos de concreto e fundações impedem a entrada de roedores, assim como fazer escudos de metal nas portas e telas nas pequenas aberturas. Veneno não é recomendado em cocheiras, além de ser nocivo para os cavalos também podem prejudicar crianças desavisadas. Uma solução rápida para este tipo de praga são os gatos (que não estão acostumados com ambientes domésticos, pois estes já perderão seu instinto de caça), mas a limpeza é sempre mais aconselhável.

Odor

O odor incomodo dos próprios cavalos é geralmente mínimo. Odores desagradáveis ​​normalmente são emanados dos produtos do estrume. Se o estrume é deixado a decompor-se, sem oxigénio suficiente, (anaeróbico), irá produzir aquele cheiro desagradável. A decomposição aeróbica (com oxigénio), não produz tais odores porque os micróbios decompõem o desperdício utilizando os nutrientes e produzem compostos sem odor (vapor de água e dióxido de carbono, por exemplo) como um subproduto. Coloque a área de depósito a favor do vento da instalação do estábulo e áreas residenciais para minimizar problemas de odor. A brisa de verão é a principal preocupação se no inverno e no verão as direção do vento que prevalece não é a mesma. Pessoas tendem a ser menos tolerantes no calor.

Estética

Outro incômodo associado com a gestão de resíduos pode ser o aspecto visual de grandes pilhas de armazenamento de estrume. Mantenha o local de armazenamento fora do alcance da vista, através de vegetação, cercas e / ou localizado em uma área remota. Uma instalação de resíduos bem concebido e gerido pode ser razoavelmente contido e não ofensivo visualmente. A triagem do local de armazenamento vale a pena porque "fora da vista é fora da mente", se o armazenamento for de outra forma bem gerido.ia orgânica em decomposição é essencial para o controle da mosca, incluindo ração acidentalmente derramada, estrume deixado nos cantos da baia, aparas de relva. A limpeza de grãos derramados não só irá suprimir populações de moscas, mas também reduz as fontes de alimentação para camundongos e ratos.

estabulo lindo para cavalo

o que fazer com esterco do cavalo

Na próxima postagem iremos abordar questões de manuseio, pisos e eliminação.

Artigo traduzido preparado por Eileen Wheeler, professora de engenharia agrícola e biológica, e Jennifer Smith Zajaczkowski, tecnóloga sênior de pesquisa em engenharia agrícola e biológica.

 

Categoria: Estábulos/ cocheiras, Manejo e dia-a-dia, Masterplan / Implantação de haras e hípicas
Comentários (0) e Compartilhar

Como construir um haras funcional - Parte 3 (Baias)

Publicado em 03/05/2016 às 20h03

A baia é a casa de seu cavalo e deve ser considerado com cuidado. Garanhões têm necessidades diferentes de éguas como um cavalo árabe de um bretão. Mas todos são animais fortes e inteligentes, que podem se meter em apuros se tiverem a oportunidade. Podem se ferir e são propensos a doenças transmitidas através de suas baias, das camas e de outras fontes. Se você tem um cavalo especial que é como um membro da família ou todo um estábulo de cavalos, você tem um grande investimento emocional e financeiro em sua saúde e bem-estar.

Joe Martinolich acredita que portas do lado externo das cocheiras devem ser instaladas sempre que possível "permitem que os cavalos olhem para o exterior e tenham luz e ar natural. As portas externas ajudar muito o seu bem-estar. "

Como Holly Matt disse anteriormente "às vezes as coisas mais simples são negligenciadas”. Por exemplo, sempre se deve construir baias com ventilação no nível mais baixo nas portas para permitir a entrada do ar. A amônia é mais pesada que o ar e ficam embaixo, as baias de parede sólida a mantem embaixo. Os cavalos mantêm seus narizes para baixo quando comem o feno e eles estão respirando-a, mesmo que você não sinta o cheiro.

Lucas Equine é uma empresa que fabrica portas e divisórias para cocheiras, e já conta com frisos para ventilação em seus produtos. Para celeiros existentes, remediar a situação pode ser simples: perfurando uma fileira de buracos de duas polegadas na parte inferior das portas da baia."

Lucas Nick Thornton diz que algumas das tendências emergentes em baias incluem o uso de metal galvanizado. " O galvanizado economiza em manutenção", diz ele, "mas tem uma aparência de coisa barata quando você olha. Mas nenhum outro material dura mais tempo. Tornou-se nossa busca em Lucas Equine para fazer galvanizado com bom aspecto. Por exemplo, incluindo remates e guarnições aos galvanizados adiciona uma aparência de boa qualidade".

Equine Systems

Muitos dos arquitetos concordaram que um material atual e ecológico para construção de cocheiras é composta de bambu. Thornton observou que o bambu é uma das madeiras mais sustentáveis. "Leva apenas um ciclo de três anos do plantio à colheita de bambu maduro", diz ele, "versus muitos anos para outras madeiras. Além disso, você não está reduzindo as florestas tropicais retirando madeiras exóticas ".

Outra tendência é a incorporação de alimentação automática e água diretamente nas bancas. Há outros luxos, como sistemas de eliminação de estrume, onde a cama já suja é removida diretamente por uma escotilha no estábulo e convenientemente levada por uma correia transportadora exterior para o monte de esterco.

Equine Systems

Thornton desfruta dos desafios lançados por arquitetos e clientes. Por exemplo, "Iron Rose Ranch ia contra tudo o que foi ensinado", ele ri. "Eles queriam todo o maquinário enferrujado, para se mesclar com a paisagem e ainda durar por longo prazo. Acontece que a ferrugem encapsula e protege o metal. Se os arquitetos pode sonhar, nós podemos fazer. A maioria das nossas inovações vêm de pedidos dos clientes. "

Houve também um consenso entre os designers sobre a importância das superfícies mais macias em baias, corredores, calçadas e anéis de equitação. Ver artigo por Laurel Roberts.

Quer ver os artigos anteriores? Clique aqui para ver PARTE 1 e aqui para ver a PARTE 2

Imagens 3 e 4: Equine Systems

Categoria: Estábulos/ cocheiras, Masterplan / Implantação de haras e hípicas
Comentários (0) e Compartilhar

Como construir um haras funcional - Parte 2

Publicado em 16/03/2016 às 10h12

Localização geográfica é definitivamente o fator mais importante na escolha de materiais e métodos construtivos. Desde os métodos indígenas de construção, o estilo era resultante do clima local. Pense por exemplo, em um telhado que é projetado para regiões onde neva frequentemente: Ele deve ser íngreme o suficiente para "lançar" a neve para fora de modo que ela não se acumule na cobertura.

Celeiros de madeira para cavalo

Deve-se levar em conta também que construções de celeiros e estábulos não tem a mesma linguagem que edificações comuns. Elas podem necessitar de sprinklers e outros itens de segurança contra incêndio. Em Wellington por exemplo, o código de construção exigia que as estruturas fossem a prova de furacões. Holly Matt, designer equestre, lembra que uma vez tentou colocar portas e janelas galvanizadas de alta qualidade importadas da Alemanha. "Elas eram perfeitas para o clima das cocheiras em Wellington, porque mesmo com uma pintura especializada o metal eventualmente enferruja se não galvanizado por dentro", mas primeiro elas deveriam ser oficialmente aprovadas contra furacões pela Florida e só assim poderiam ser instaladas.

central de reprodução para cavalos - wellignton

"As pessoas estão percebendo que todos os estábulos são diferentes" afirma Martinolich, "e eles precisam ser planejados para diferentes raças, tipos de animais (garanhões, éguas prenhas, com potro ao pé, atletas, etc..), diferentes localizações, diferentes donos e suas preferências..". Se você vai investir dinheiro, faça isso corretamente.

casa fazenda estilo americano

Voltando a história (clique aqui para ver o post anterior) de que os estábulos devem funcionar como uma máquina e não simplesmente como uma edificação, não é adequado construir mezaninos "eles podem ser românticos, mas simplesmente não fazem mais sentido" afirma a arquiteta Lachlan Oldaker, além deles, lajes (ou forros), também não são eficientes pois podem comprometer o funcionamento das cocheiras como uma máquina. Afirma John Blackburn.

cocheiras de cavalos bonitas

"As pessoas me perguntam, por que cocheiras com claraboias na Flórida ou Texas? Elas só vão deixar as baias e corredores mais quentes. Bem, nós queremos que fique quente, porque assim você cria uma diferença de temperatura enorme no cume da cobertura, o que leva ao efeito chaminé. O calor aumenta. Quando você combina isso com o efeito Bernoulli que puxa o ar para fora, você obtém uma brisa refrescante mesmo em um dia quente. Um bom celeiro não precisa de luzes (durante o dia) ou ventiladores."

baias para cavalos cocheiras de cavalos celeiros para cabanha haras arquiteto

A arquiteta Holly Matt complementa, "muitos pavilhões de cocheira não tem ventilação adequada. Cavalos precisam de 5 a 10 vezes mais de ar fresco que os homens porque seus pulmões são muito maiores, o que pode parecer bom para nós, não é adequado para eles. Cavalos dependem de limpeza e ar puro para se manterem saudáveis durante os anos. O sistema respiratório dos animais é frágil e para manter eles na melhor forma devemos prover ventilação em três níveis do estábulo: Na cobertura, com aberturas que permitam a saída do ar quente e bactérias; no nível principal, com portas e janelas, divisórias vazadas o máximo possível; no nível do piso das baias através de aberturas ou frisos embaixo das portas, partes inferiores vazadas, permitindo que a amônia e poeira sair da baia." Todos os três níveis de ventilação tem a mesma importância e devem ser previstos de forma a criar um meio ambiente saudável para a performance do seu cavalo.

Todos os arquitetos, especialistas em arquitetura equestre concordam que colocar clarabóias, iluminação e ventilação zenital é a maior mudança positiva que se pode ter na arquitetura de um celeiro. Passou a ser uma norma.

E porque não? Skylights (ou iluminação e ventilação zenital) promove o dobro de benefício,  com iluminação e ventilação natural. "iluminação e ventilação são as maiores 'soluções sustentáveis' a se considerar ao projetar em uma cocheira". Joe Martinolich do CMW Equine architects, completa "além disso, elas deixam as cocheiras muito mais apresentáveis. Quando você entra em um estábulo umido, escuro, você quer sair imediatamente. Agora entrar em um local iluminado e ventilado, seja um estábulo ou uma pista coberta, você não tem vontade de sair.

baias de madeira, cocheiras bonitas para cavalo, baia de cavalo, celeiro, estábulos

baias bonitas para cavalos arquiteto de haras hípicas e fazendas

Esse sentimento de brilho, elevação, pode ser ainda mais realçado com simples soluções como pintar o teto de branco. O branco reflete a luz, um picadeiro indoor por exemplo, com claraboias em seu perímetro e uma cobertura branca, nunca precisaria de iluminação elétrica durante o dia. O ideal é utilizar uma cobertura opaca (ao invés de vidro totalmente transparente), desta forma, você desfoca as sombras e pode evitar que os animais se assustem.

pista coberta indoor cavalos

Da mesma forma que a localização afeta o estilo das cocheiras, também afeta a escolha dos materiais. Muitas pessoas adoram a madeira, seu visual, seu conforto, aquela sensação de acolhedor que o material tem, além disso, a primeira vista é mais econômico do que colocar portas vazadas de metal por exemplo. "As pessoas gostam da estética das cocheiras de madeira, mas aí temos os problemas de manutenção, risco de incêndio e alguns cavalos tem o hábito de morder ou roer. E uma vez que é pintada ela tem que frequentemente ser repintada para ter uma aparência aceitável, nós alertamos os proprietários para que tenham toda informação antes de tomar qualquer decisão"

cocheiras bonitas e funcionais

Martinolich costuma recomendar blocos de concreto a seus clientes que querem construir celeiros, estábulos e cocheiras. "eles tem uma durabilidade razoável, são resistentes ao fogo e podem ter acabamentos finais que vão do clássico ao rústico". Se trata de uma solução interessante pois pode ser econômico a longo prazo. 

Clique aqui para ver a publicação completa na revista Equestrian Quartely

Categoria: Estábulos/ cocheiras, Masterplan / Implantação de haras e hípicas
Comentários (0) e Compartilhar

Como construir um haras funcional - Parte 1

Publicado em 09/03/2016 às 16h30

Pesquisando referências e inspirações, encontramos uma reportagem maravilhosa onde a revista Equestrian Quarterly, teve um bate-papo com os maiores experts da área equestre, entre construtores e arquitetos, para entender o que diferencia uma instalação/ empreendimento equestre bem concebido de uma simplesmente uma estrutura bonita. O resultado foi uma reportagem extraordinária, resumindo os conceitos primordiais desse tipo de instalação.

ARQUITETO DE HARAS ARQUITETO DE FAZENDAS ARQUITETO DE HIPICA

O foco inicial eram os projeto sustentáveis equestres, ou no caso, “green barns”, pesquisando recursos neste sentido logo perceberam que o conceito ecológico era muito maior do que painéis solares e sistema de reutilização de água, um estábulo bem projetado é sustentável porque economiza energia elétrica, estimula a iluminação e ventilação natural evitando o uso de energia elétrica.

COCHEIRAS BONITAS MADEIRA

Um Plano Diretor é fundamental

Como os especialistas explicaram, um bom design começa bem antes de os edifícios serem até mesmo “croqui de guardanapo.” O primeiro passo importante é visualizar a instalação como um todo. Segundo o arquiteto John Blackburn, “O planejamento adequado pode reduzir significativamente os custos da obra: Menos estradas/ ruas/ acessos, menos cercas, um sistema de drenagem otimizado e a garantia de que toda a implantação, não apenas as cocheiras de cavalo mas toda a coleção de estruturas no local, operem com eficiência e segurança.”

VISTA AREA FAZENDA HARAS

Joe Martinolich, arquiteto principal e diretor na CMW, diz: “As pessoas me dizem, ‘Eu preciso de uma cocheira com seis baias’ Eu pergunto, o que acontece com seus tratores, adubos, ferramentas, ração e feno? “Ele diz:” Primeiro você localiza feno, equipamentos e armazenamento de veículos, acesso para retirada de estrume, as entregas de caminhão e talvez os hóspedes e visitantes. Todos estes equipamentos têm inter-relações, e eles precisam ser planejadas para o início. Só então você pode se concentrar em edifícios de fato. ” Na maioria dos imóveis agrícolas, a maior despesa é o trabalho “, acrescenta Lachlan Oldaker de GH2 Gralla em Oklahoma. “Então, o planejamento eficiente economiza tempo e portanto, dinheiro. Um bom design significa que ele requer menos passos para fazer a rotina diária, afluência, limpeza e portanto, economiza os custos do trabalho.

IMPLANTAÇÃO - HARAS HIPICAS E FAZENDASARQUITURA EQUESTRE

Blackburn explica a importância da orientação dos edifícios na paisagem. “Um bom celeiro não é apenas um edifício, é um motor. Nós projetamos o edifício para criar a sua própria ventilação. Na parte traseira do teto, deve-se crias uma área de baixa pressão que, quando devidamente projetado, puxa o ar para cima e através das cocheiras. Traga o ar que está perto do chão para a parte superior e permita a saída do ar, assim ele irá se mover verticalmente. Quando o ar se move horizontalmente ele transfere bactérias e patógenos de um cavalo para outro.

ARQUITETURA EQUESTRE - HARAS FAZENDAS HIPICAS 5

“Criar um plano diretor de implantação não significa que tudo precisa ser construído de uma só vez. A implantação pode acabar levando anos para implementar, mas à medida que cada nova estrutura ou pasto é adicionado, não é feito de forma aleatória habitual.

ARQUITETURA EQUESTRE - HARAS FAZENDAS HIPICAS 4

Mesmo aqueles com orçamentos muito limitado deve considerar começar a implantação com o conselho de um especialista na fase de planejamento, dada a importância do layout ideal de um haras/ hípica ou fazenda.

Categoria: Estábulos/ cocheiras, Masterplan / Implantação de haras e hípicas
Comentários (0) e Compartilhar

Cerca para piquetes - Qual tipo ideal?

Publicado em 18/02/2016 às 11h58

A pergunta pode parecer simples, “Qual tipo de cerca ideal para cavalos?” – “Aquela que vai deixar eles dentro do pasto”. Bom, a resposta é um pouco mais complexa do que simplesmente contenção e aqui vamos falar do tipos de cerca para ajuda-los a decidir qual a melhor opção!

cerca para pasto

Cerca de madeira pintada

Além de ser uma das mais comuns, muitas pessoas podem achar este tipo de cerca ideal. Só de pensar naquela cerca linda, branquinha, em meio as árvores e a grama verde já te vem a mente o jargão “lar doce lar”. Mas ao acrescentar os cavalos e a manutenção, a figura pode mudar. Os custos de reparo e pintura são permanentes. Esta solução pode parecer atrativa por seu custo (e visual) inicial, porém, há que se levar em conta que um cavalo assustado pode quebra-la facilmente, se machucar (eu mesma já tive uma egua que se machucou em um parafuso da cerca e ficou meses em tratamento com medicamentos e sem poder treinar) e as pragas que este material está sujeito.

cerca de madeira para pasto

Cerca com eletricidade

Normalmente utilizada para cercas temporárias, é rápido, fácil e pouco custoso de se instalar. É recomendável o uso de mais de uma fita (ou fio) para aumentar a visibilidade do animal. Porém, uma das desvantagens deste tipo de cerca é justamente o que mantem os animais na contenção: o choque. Se você tem crianças, ou o pasto se encontra em uma área relativamente movimentada, você pode machucar alguém. Também não podemos deixar de lembrar que o uso da eletricidade na cerca acarreta aumento no custo da energia. Este tipo de cerca não pode ser usada em divisas de propriedade (a não ser que haja um acordo comprovado), seu uso é totalmente dependente do aparelho eletricificador e energia (ou seja, se acaba ou o aparelho quebra a cerca não funciona). É recomendável colocar avisos e verificar semanalmente a tensão elétrica

cerca para piquete de cavalo

Tubos de aço

Resistente aos impactos dos animais, necessita de pouca manutenção e alta durabilidade. Seu custo inicial é alto, mas uma vez que instalada você pode deixa-la lá sem se preocupar. Também, devido a sua alta visibilidade, alguns proprietários dizem que não é comum os cavalos correrem para perto dela.

cerca de aço para cavalos

Cercas de PVC

Se você está buscando beleza e praticidade o PVC é um material mais recente no mercado e atrativo por não oferecer nenhuma ou pouquissima manutenção. Por ser leve, é necessário que os apoios sejam concretados no chão, porém ele é bastante visível e os cavalos não tem tendência a ficar “mordiscando” como acontece com a madeira. Entre suas desvantagens está, é claro, o custo elevado de instalação; além disso com o impacto de um cavalo os apoios podem se romper. Não há maneira de medir sua força de ruptura, mas sabemos que em baixas temperaturas o PVC se torna mais rígido, sendo recomendável para locais mais frios.

cerca de pvc para pasto

Então, como fazer para decidir qual o melhor tipo de cerca para o meu pasto? Bom, cada projeto, cada hipica, haras ou fazenda tem suas particularidades porém existem algumas questões que você deve levar em conta ao procurar a cerca ideal:

  • Quanto tempo a cerca que eu estou buscando deve durar?
  • Qual o valor que estou disposto a desembolsar para ter uma cerca de qualidade para os meus animais?
  • A instalação será feita por mim ou por profissionais especializados?
  • As tábuas irão ficar na parte de dentro ou de fora dos postes?
  • Haverão cavalos o dia todo no pasto ou somente por um período do dia?

cerca para cavalo

Respondidas essa perguntas, estão prontos para saber – Qual o tipo de cerca ideal para suas pastagens?

 

 

 

Categoria: Masterplan / Implantação de haras e hípicas
Comentários (1) e Compartilhar

left show fwR|left tsN fwR|left show fwR|bnull|||news login fwB tsN fwR tsY uppercase|fsN fwR uppercase|uppercase|news login fwR uppercase|tsN fwR uppercase|b01 uppercase bsd|content-inner||news fl