Manejo e dia-a-dia

Gestão de esterco em cocheiras

Publicado em 01/06/2016 às 16h19

A manipulação de estrume é uma condição necessária de gestão de estábulos, certificar-se de que a limpeza e outras tarefas de manuseio de estrume são feitas de forma eficiente pode levar a mais tempo gasto com o cavalo. É importante reconhecer que os cavalos produzem grandes quantidades de estrume que rapidamente se acumulam! Cerca de 12 toneladas de esterco e de cama suja serão removidos anualmente de cada baia (que abriga um cavalo em tempo integral). Devemos considerar cuidadosamente como este material é movido e armazenado para ter uma gestão do estrume eficiente. Retirar o estrume de uma baia é apenas o começo. Um sistema de gerenciamento de dejetos completo envolve a coleta, armazenamento (temporário ou a longo prazo) e eliminação ou utilização. Questões associadas, como o controle de odor, moscas e sua reprodução e impacto ambiental serão abordadas aqui.

o que fazer com o estrume

Práticas de manejo de dejetos dentro das instalações do cavalo merecem atenção especial. Muitas vezes, as cocheiras para cavalo têm pouca ou nenhuma área cultivada para a eliminação de esterco e de cama suja. Várias alternativas para lidar com o estrume incluem a eliminação de terra, o armazenamento para o manuseio futuro, remoção do local estável e compostagem. Alguns estábulos desenvolveram mercados para distribuir ou vender esses resíduos. Em um ambiente suburbano ou rural, a gestão de estrume adequada é baseada em princípios simples que irão ajudar a eliminar os impactos de poluição ambiental e perturbações, tais como odor e moscas.

o que fazer com o esterco do cavalo

Produção de resíduos em estábulos e suas características

Estrume inclui ambas as porções sólidas e líquidas de resíduos. O estrume de cavalo é cerca de 60% de sólidos e 40% na urina. Em média, um cavalo produz cerca de 30kg de resíduos sólidos e 2,4L de líquido total por dia. O volume de cama suja removido é praticamente o dobro do volume de esterco removido, variando práticas de gestão. Planeje-se agora para lidar com este material! Tarefas de um celeiro incluem uma limpeza diária de esterco e cama suja, levando a um fluxo constante de resíduos para manusear. Existem vários materiais de cama para baias e cada um tem características diferentes no manuseio, aplicação de campo, adequação para compostagem e aceitação para as vendas. Disponibilidade e custo de materiais de cama, provavelmente, provavelmente terão a maior influência sobre a seleção do proprietário. As necessidades no manejo de dejetos dos cavalos de pasto são diferentes das dos cavalos estabulados. O estrume depositado no campo é benéfico, uma vez que serve como fertilizante.  Quantidades substanciais de estrume podem se acumular onde os cavalos se reúnem: perto da porteira, bebedouros, áreas de sombra favorita, alimentadores e abrigos. Estas áreas devem ser limpas semanalmente para um melhor manejo de pastagens, controle de parasitas e para diminuir a reprodução de moscas. O esterco recolhido de piquetes e pastagens pode ser adicionado aos resíduos armazenados dos estábulos. O estrume de cavalo pode ser considerado um recurso valioso em vez de um "desperdício". Com a maior ou menor quantidade de material de cama misturado com esterco em resíduos de uma baia típica, o valor fertilizante de nutrientes irá variar bastante.

estrume de cavalo o que fazer

Impacto ambiental

Minimizando Transtornos

Para uma zona suburbana, um problema em potencial inclui a superação de equívocos sobre o incômodo e potencial de poluição das cocheiras de cavalo. Mas algumas pessoas podem ver os cavalos como máquinas de gerar esterco, moscas e odores. Um estábulo operando com um grande número de cavalos numa área de cultivo pode intensificar os problemas e incômodos não observados em pequenos estábulos. Geralmente, de 2 a 3 acres de bom pasto por cavalo é necessário para fins de alimentação animal no verão. Felizmente, uma gestão cuidadosa e atenção intensiva aos detalhes pode superar problemas potenciais de operações com cavalo. Pragas comumente associados à agricultura animal são moscas e pequenos roedores, como ratos e camundongos. Mas são as moscas e odores que estão entre as queixas mais comuns, no entanto a gestão adequada estrume pode ajudar a eliminar pragas agrícolas e odores. É sempre mais eficaz evitar a reprodução de moscas e insetos do que controlar moscas adultas. Eliminando o habitat exigido pelas larvas para eclodir e crescer reduz significativamente as populações de moscas. As moscas depositam ovos em poucos centímetros, no topo de esterco úmido; portanto minimizar a área de superfície de esterco úmido é uma estratégia de redução. Os ovos podem eclodir em menos de 7 dias, sob condições ideais de temperatura e umidade, estima-se que uma mosca pode produzir 300 milhões de larvas em cerca de 60 dias! Para que isso não aconteça, mantenha o estrume o mais seco possível, abaixo de 50% de umidade, a fim de torná-lo menos desejável para a deposição de ovos. Espalhe o estrume em camadas finas durante a aplicação no campo, ou impeça a entrada de precipitação cobrindo a área de armazenamento permanente, eventuais lixeiras ou armazenagem de estrume temporária. 

compostagem de estrume de cavalo

onde colocar estrume de cavalos

Roedores

Lixo, lixeiras, pilhas de madeira velha ou estrume são onde os ratos e camundongos se escondem, por isso é importantíssimo sempre higienizar. Manter as ervas daninhas aparadas em torno dos edifícios para reduzir esconderijos. Sacos de alimento empilhados criam passagens ideais onde os roedores podem comer, se esconder e se reproduzirem. A armazenagem de alimentos ideal é em caixas à prova de roedores, de preferência revestidas de metal ou malha de arame.

quarto de ração cavalos

As áreas sob silos, beliches e baldes são excelentes locais de alimentação para os roedores. Pisos de concreto e fundações impedem a entrada de roedores, assim como fazer escudos de metal nas portas e telas nas pequenas aberturas. Veneno não é recomendado em cocheiras, além de ser nocivo para os cavalos também podem prejudicar crianças desavisadas. Uma solução rápida para este tipo de praga são os gatos (que não estão acostumados com ambientes domésticos, pois estes já perderão seu instinto de caça), mas a limpeza é sempre mais aconselhável.

Odor

O odor incomodo dos próprios cavalos é geralmente mínimo. Odores desagradáveis ​​normalmente são emanados dos produtos do estrume. Se o estrume é deixado a decompor-se, sem oxigénio suficiente, (anaeróbico), irá produzir aquele cheiro desagradável. A decomposição aeróbica (com oxigénio), não produz tais odores porque os micróbios decompõem o desperdício utilizando os nutrientes e produzem compostos sem odor (vapor de água e dióxido de carbono, por exemplo) como um subproduto. Coloque a área de depósito a favor do vento da instalação do estábulo e áreas residenciais para minimizar problemas de odor. A brisa de verão é a principal preocupação se no inverno e no verão as direção do vento que prevalece não é a mesma. Pessoas tendem a ser menos tolerantes no calor.

Estética

Outro incômodo associado com a gestão de resíduos pode ser o aspecto visual de grandes pilhas de armazenamento de estrume. Mantenha o local de armazenamento fora do alcance da vista, através de vegetação, cercas e / ou localizado em uma área remota. Uma instalação de resíduos bem concebido e gerido pode ser razoavelmente contido e não ofensivo visualmente. A triagem do local de armazenamento vale a pena porque "fora da vista é fora da mente", se o armazenamento for de outra forma bem gerido.ia orgânica em decomposição é essencial para o controle da mosca, incluindo ração acidentalmente derramada, estrume deixado nos cantos da baia, aparas de relva. A limpeza de grãos derramados não só irá suprimir populações de moscas, mas também reduz as fontes de alimentação para camundongos e ratos.

estabulo lindo para cavalo

o que fazer com esterco do cavalo

Na próxima postagem iremos abordar questões de manuseio, pisos e eliminação.

Artigo traduzido preparado por Eileen Wheeler, professora de engenharia agrícola e biológica, e Jennifer Smith Zajaczkowski, tecnóloga sênior de pesquisa em engenharia agrícola e biológica.

 

Categoria: Estábulos/ cocheiras, Manejo e dia-a-dia, Masterplan / Implantação de haras e hípicas
Comentários (0) e Compartilhar

Decoração estilo country com selas de cavalo

Publicado em 17/05/2016 às 09h33

Fizemos um post no nosso insta (@db_arquitetura_equestre) sobre reutilização de selas antigas para fazer banquetas em um bar ou área gourmet. Como tivemos bastante interessados no assunto, resolvemos compartilhar mais algumas inspirações, referências, para quem gosta do estilo equestre, rústico...seja ele mais clássico ou western, quem vai definir é a ambientação da decor que sua casa vai ter. 

Decoração com sela de cavalo

Pés em ferro dão maior sustentação e equilíbrio pelo seu peso próprio, na imagem acima, também é possível regular a altura do banco, o que é importante para o conforto, já que este tipo de assento não é tão confortável.

decoração com sela tambor

As banquetas com regulagem também são multifuncionais: é possível usá-las na bancada alta ou reduzir sua altura para serem usadas na mesa (e caso se mude, poderá usá-las em outro local que tenha medidas diferentes).

Onde posso usar? Em espaços de curta permanência, para petiscar como um bar, refeição rápida ou que você tenha cadeira como apoio auxiliar além da sela (em uma área gourmet por exemplo que você tenha o balcão com as banquetas e uma mesa de jantar também), por não ter um encosto apropriado elas não são tão confortáveis para se sentar como cadeiras comuns.

decoração rustica com sela de cavalo

Vejam por exemplo este ambiente comercial, ele tem uma área de apoio no bar (que pode ser uma espera por exemplo) e também tem mesas e cadeiras baixas. A banqueta de sela da o tom e estilo no ambiente. 

bar decoração western

Quantas eu posso colocar no meu espaço? Para acomodar confortavelmente os usuários, considere um espaço entre 60-70cm para cada banqueta. Se você tiver um balcão entre 1,80 a 2,10m por exemplo, podem ser colocadas 3 banquetas de sela. 

Qual altura ideal? Ela irá variar de acordo com a altura da sua bancada ou balcão. O importante é que você possa apoiar os braços confortavelmente no balcão. Normalmente um espaçamento de 30cm entre o assento da sela e a face inferior do tampo do balcão é suficiente. Se quiser uma medida ideal, faça o teste você mesmo em casa sentando em uma cadeira e mesa confortável e messa a distância do assento da cadeira para a mesa.

Quando não indicamos seu uso? Idosos e pessoas obesas podem ter dificuldades para usá-las. Idosos precisam de cadeiras com braços para servir de apoio, enquanto que obesos precisam de assentos que acomodem confortavelmente seus quadris. decoração rustica

Se você quer um visual mais moderno, contemporâneo (sem puxar para o rústico) o modelo abaixo tem os pés cromados, é feita pelo designer brasileiro Fernando Akasaka.

Você também pode utilizar a sela como um elemento decorativo, não necessariamente para fazer banquetas, mas pode ser um objeto de destaque realçado com uma iluminação pontual. Pode ser uma sela importante, que você ganhou em um campeonato, ou a primeira sela que você teve..vejam como fica lindo:

decoração sela de cavalo

 

Categoria: Estábulos/ cocheiras, Manejo e dia-a-dia
Comentários (0) e Compartilhar

Equoterapia - Terapia e Prazer

Publicado em 27/04/2016 às 21h08

Você sabia que os cavalos podem ser grandes aliados no tratamento de diversos problemas físicos, neurológicos e psicológicos?

A equoterapia parece um termo tão moderno, mas já era utilizada há mais de dois mil anos. Hipócrates (456-370 a.c.) recomendava a equitação para regenerar a saúde e conservar o corpo humano. Também, afirmava que a prática de equitação ao ar livre melhora a qualidade do tônus muscular. Desde essa época, terapeutas usam o cavalo como instrumento na reabilitação de diversas patologias, não só motoras, mas como a síndrome do pânico, ansiedade, transtorno de personalidade e várias outras.

Não só crianças com necessidades especiais utilizam essa terapia; imagine um adulto que sofreu um AVC e perdeu parcialmente sua mobilidade. Além de trabalhar toda a parte motora, o fato de se sentir ‘no domínio’ de um animal tão grande e forte, devolve a autoestima e influi grandemente no comportamento.

Na presença do cavalo, animal de grande porte e sempre associado a liberdade, força e poder, é possível observar mudanças no comportamento dos paciente ligadas à aprendizagem, motivação, memória, sistema nervoso e mesmo na comunicação interpessoal.

De acordo com Cláudia Poci, instrutora de equitação, “o cavalo é um grande instrumento de educação, pois ensina limites, traz alegria, desenvolve afetividade, autoestima e concentração em pessoas de todas as idades e estágios de desenvolvimento. Sendo assim, se temos a possibilidade de promover esse encontro entre cavalos e seres humanos, estamos fazendo a nossa parte para construir uma sociedade melhor, mais humanitária e respeitosa.”

Há no Brasil várias instituições que trabalham com a equoterapia e, com a convivência com os animais e a terapia propriamente dita, a mudança de comportamento e a evolução nos pacientes em poucas semanas é notável.

Acho que vale a pena conhecer um centro de equoterapia e novos horizontes?

Categoria: Manejo e dia-a-dia
Comentários (0) e Compartilhar

Amônia, fora da minha cocheira! Parte 2

Publicado em 20/04/2016 às 10h35

Este post é um complemento a primeira publicação (Amônia, fora da minha cocheira - Parte 1), onde falaremos sobre as instalações e cuidados na manutenção.

Cama e revestimento do piso

Além de ar fresco, o outro ingrediente para o controle de amônia é a gestão. A “cama” é útil para absorver a urina e fezes. Um estudo revelou que a palha do trigo reduziu amônia do ar (mas não necessariamente pó), mais do que a cama de serragem, muito usada no Brasil.

cama de serragem para cavalos

Wheeler comenta: "Uma solução é forrar as baias com camada extra onde o cavalo fica a maior parte do tempo. Uma ligeira inclinação no chão tende a espalhar as poças de urina desse local para uma absorção melhor. A remoção frequente da cama suja, pelo menos uma vez por dia, é a chave para o controle de amônia."

Ela acrescenta: "piso poroso (terra batida, barro ou pó de pedra) retém a umidade da urina (e associados odor / vapores) que chega até ele. No entanto, o revestimento impermeável (concreto) é muito duro para cavalos aí confinados o dia todo." O uso de redes ou entrelaçados permite que a urina escoe sob eles, onde não seriam acessíveis aos materiais absorventes ou a limpeza.

piso para baia de cavalos

Alguns tipos de pisos de borracha podem ser usados para amenizar a dureza do concreto, podendo ser retirados para a limpeza semanal.

piso de borracha para baia de cavalos

Compostos que absorvem amônia

Um estudo esclarecedor (University of Kentucky, 2000) indicou que apesar da limpeza diária, níveis elevados de amônia persistem perto do chão em baias não tratados com compostos de absorção de amônia. Mazan comenta: "É um pouco preocupante quando vemos que um estudo como este mostra que, apesar da cama de serragem e limpeza diária da baia, a amônia ao nível do piso sobe de 2,5 a 228 ppm. A situação é pior para potros que ficam mais tempo deitados."

A urina contém ureia (um produto do metabolismo de proteínas) que é "dividido" (hidrolisado) em amoníaco e dióxido de carbono através da ação da enzima uréase, uma proteína encontrada em bactérias associadas com as fezes e materiais de revestimento que tenha sido contaminada com fezes. Wheeler relata que existem dois pontos em que este processo pode ser interrompido de forma eficaz: "A primeira é através da alimentação de uma dieta reduzida em proteínas (satisfazendo os requisitos do cavalo), que resulta em menor teor de ureia na urina e, portanto, menos amoníaco." (alguns suplementos alimentares têm sido utilizados em ruminantes para limitar a produção de amônia e poderia ter bom para uso em cavalos, observa).

Wheeler continua, "O segundo é parar a hidrólise de ureia, negando acesso à enzima uréase. No entanto, uréase é onipresente em baias de cavalo. Alguns produtos contem inibidores de uréase. Cal hidratada, teoricamente, poderia reduzir a amônia através da criação de um ambiente hostil, básico (pH elevado), que diminui a sobrevivência de bactérias contendo uréase".

Uma terceira opção é evitar que a amônia seja levada pelo ar depois de formada. Muitos produtos comerciais estão disponíveis com essa finalidade. Wheeler relata, "Zeólitos (minerais que absorvem água e gases) têm uma alta capacidade de absorção de moléculas de amoníaco; clinoptilolite é um zeólito típico usado para camas de animais. Outro produto é terra de diatomáceas que rapidamente absorve água, reduzindo assim o potencial para a uréase molecular contendo bactérias que formam amônia".

Cuidados na baias

Muitas estratégias utilizadas para eliminar amônia, também diminuem a irritação das vias aéreas causada por poeira, com uma vantagem adicional de eliminar atrativos para moscas. Esses incluem:

  • limpar as baias uma ou duas vezes por dia, para remover toda a cama encharcada de urina e troque toda a cama pelo menos semanalmente.
  • Tirar os cavalos das baias durante a limpeza para minimizar a exposição a gases de amônia, que são agitados com o movimento e arremessados com o material da cama.
  • Providenciar boa drenagem nas baias e corredores para facilitar a saída de urina e, regularmente, limpar sob as esteiras.
  • Usar materiais absorventes e eficientes para a cama.
  • Misturar um produto neutralizante de amônia com a cama limpa.
  • Providenciar boa ventilação nas baias e evitar o seu fechamento quando possível.
  • Instalar fendas para entrada de ar nos beirais que ficarão abertos durante todo o ano para permitir entrada de ar fresco.
  • Deixar os cavalos ao ar livre, em todas as oportunidades, para oferecer um ambiente de ar puro.

cavalo solto pasto

Cuidado com os equinos nunca é demais, esperamos que vocês também tenham aprendido com este artigo.

Referência desse texto é da Nancy S. Amoroso, DVM

Nancy S. Amoroso, DVM, possuí uma clínica- Loving Equine Clinic, em Boulder, Colorado, e tem um interesse especial na gestão do cuidado de cavalos de desportes. Seu livro, All Systems Go é sobre o cuidado veterinário  e condicionamento de recursos veterinária abrangente em cores, que envolve todos os aspectos de cuidado com cavalos. Ela também é autora dos livros ‘Go the Distance’ como recurso para proprietários de cavalos de resistência, também ‘Conformation and Performance’ (conformação e desempenho) e ‘First Aid for horse and rider’ (Primeiros Socorros para o cavalo e cavaleiro),  além de muitos artigos veterinários para proprietários de cavalo e público profissional.

Categoria: Estábulos/ cocheiras, Manejo e dia-a-dia
Comentários (0) e Compartilhar

Amônia, fora da minha cocheira!

Publicado em 08/04/2016 às 13h35

Alguma vez você já entrou em uma cocheira e sentiu as emanações nocivas de amônia? Seus olhos lacrimejam, o nariz escorre, sua garganta fecha; você pode ser tentado a espirrar só de pensar nisso. Você sairia imediatamente.  Imagine então o que deve ser para cavalos confinados em um espaço fechado com pouca ventilação. Onde eles poderiam ir para respirar ar fresco?

O acúmulo de Amoníaco pode afetar a saúde respiratória e o desempenho de um cavalo. A boa notícia é que é evitável, em grande parte, com as práticas saudáveis de gestão.

Impacto da amônia

Segundo Melissa Mazan, médica veterinária, professora associada de ciências clínicas na Escola Cummings de Medicina Veterinária da Universidade Tufts, em Massachusetts: "A EPA (Environmental Protection Agency) recomenda que as pessoas não devem ser expostas a mais de 1,4 ppm (partes por milhão) em uma base crônica; níveis de 24 ppm causam graves irritações de garganta e nasal.

"A amônia, em níveis típicos de baias, afeta principalmente as vias aéreas superiores do cavalo", ela observa. "No entanto, em concentrações mais elevadas, a amônia pode causar inflamação das vias aéreas e edema pulmonar, o que ocorre geralmente em níveis superiores a 500 ppm. As exposições mais graves com edema pulmonar têm consequências potencialmente fatais."

 A amônia causa condições inflamatórias nas vias aéreas dos equídeos, aumentando o muco, que afeta negativamente a resposta imunológica, interferindo com a ação dos cílios (pelos microscópicos) que revestem as vias respiratórias - estes cílios servem como uma defesa natural, evitando que poeira e detritos entrem profundamente no trato respiratório. O impacto na respiração de amônia prejudica o desempenho e vitalidade de um cavalo, particularmente quando as vias aéreas também são atacadas por poeira, endotoxinas (um componente de bactérias), e outras partículas.

Verificação de amônia

Eileen Fabian Wheeler, PhD, professora da qualidade do ar na Pennsylvania State University, tem um interesse especial na otimização do ambiente de cocheiras. Ela comenta: "Se você pode sentir o cheiro de amônia no estábulo, então ele já está acima do limite recomendado para uma boa qualidade do ar." Ela relatou que o nível de amônia num estábulo deve ser mantido abaixo de 10 ppm, e o reconhecimento do cheiro de amônia pelos humanos não ocorre até 20 ou 30 ppm, o que é mais elevado do que o desejável ​​para a saúde do cavalo. "A amônia é mais leve que o ar, mas o seu nível é maior perto de sua fonte - urina e fezes depositadas nas baias", diz Wheeler. "Para avaliar adequadamente o nível de amônia, você vai precisar medi-la na zona de respiração do seu cavalo (a esfera de dois pés em torno do nariz do cavalo de onde ele tira sua respiração)." Existem empresas que possuem dispositivos para medir a quantidade de amônia no ar. 

Recomendações do Ar Limpo

Boa ventilação e estratégias de higiene práticas são necessárias para livrar um celeiro de amônia. "Cocheiras nunca devem ser fechadas, mesmo no inverno", diz Wheeler. "Os estábulos adequados possuem aberturas em toda estrutura." O não fornecimento de tais aberturas deixa as baias com cheiro de estrume além da amônia e também permite a condensação, que deixa manchas e inclusive deterioram a estrutura. Altos níveis de umidade, resultantes da má ventilação, tornam um celeiro frio, úmido e abafado. Wheeler salienta que deixando um estábulo "respirar" reduz-se a amônia, odores e umidade e o mantém fresco e seco, mesmo no clima mais frio.

como ter cocheiras bonitas e saudáveis

Wheeler faz algumas recomendações sobre o intercâmbio de ar nas baias, baseadas em regras gerais comprovadas: "Use aberturas permanentes que fornecem pelo menos cerca de 50cm² de abertura por cavalo alojado – o ideal é uma longa fenda em vez de um quadrado, com 3cm de largura de entalhe, permanentemente aberto, ao longo de todo o comprimento da baia, nos beirais". Ela ressalta que, colocando essa fenda de entrada nos beirais, o ar frio entra como um fluxo de ar que se mistura rapidamente com o ar parado, um pouco mais quente, da baia. Isso permite a entrada livre de ar fresco, com o ar viciado da baia que circulando para fora. "As aberturas maiores melhoram a chance de manter uma boa qualidade do ar durante todo o ano. Pode-se fazer aberturas ajustáveis, ​​maiores para um clima mais quente", diz ela.

Tire vantagem de flutuação térmica (a elevação do ar quente); o ar úmido é menos denso e sobe para as aberturas altas. Wheeler explica, "Aquecido, o ar úmido sobe e é lançado fora pelas aberturas altas, criando um efeito chaminé, que permite que o ar exterior fresco entre na baia, através das aberturas inferiores. Flutuação térmica é uma das duas forças de direção de ventilação natural, a outra é o vento, que é muito mais eficaz do que a flutuação térmica para ventilar uma cocheira".

Wheeler também observa, "Outro ponto importante é fornecer pelo menos dois conjuntos de aberturas localizadas em diferentes partes da construção; uma abertura de ventilação por si só não será eficaz em melhorar a qualidade do ar em toda a baia. Incluir aberturas no beiral ao longo das duas paredes laterais, por exemplo".

divisões de baias

Ela menciona o valor da utilização de cúpulas com aberturas: "... uma cúpula na parte superior do telhado do pavilhão de cocheiras oferece uma saída para o ar quente e do odor além de permitir que o vento movimente o ar para dentro e para fora do estábulo."

 

Wheeler adverte que ter um corredor de trabalho bem ventilado, mas com baias mal ventiladas, não é útil para os cavalos. "Aberturas entre baias também ajudam muito o fluxo de ar em todo o estábulo, com benefícios adicionais na socialização para os cavalos e fácil visualização de todos os animais", diz ela. Para cavalos estabulados, em dias quentes, Wheeler recomenda a instalação de portas com malha resistente tanto para o exterior como para o interior das cocheiras. Isso permite que a brisa de fluxo cruzado se desloque entre os corpos dos cavalos.

Referência desse texto é da Nancy S. Amoroso, DVM

Nancy S. Amoroso, DVM, possuí uma clínica- Loving Equine Clinic, em Boulder, Colorado, e tem um interesse especial na gestão do cuidado de cavalos de desportes. Seu livro, All Systems Go é sobre o cuidado veterinário  e condicionamento de recursos veterinária abrangente em cores, que envolve todos os aspectos de cuidado com cavalos. Ela também é autora dos livros ‘Go the Distance’ como recurso para proprietários de cavalos de resistência, também ‘Conformation and Performance’ (conformação e desempenho) e ‘First Aid for horse and rider’ (Primeiros Socorros para o cavalo e cavaleiro),  além de muitos artigos veterinários para proprietários de cavalo e público profissional.

Fonte das imagens e referência de texto: Barn Mice , The horse

Categoria: Estábulos/ cocheiras, Manejo e dia-a-dia
Comentários (0) e Compartilhar

Benefícios da hidroterapia em cavalos

Publicado por Diana Brooks em 14/03/2016 às 19h25

Pessoal, no último dia 09 nós participamos de uma publicação no blog Brasil Cowboy onde em conjunto com a fisioterapeuta de equinos Katia Ferraro, proprietária da Equinecare, pudemos falar um pouquinho sobre esta terapia que trás inúmeros benefícios aos animais. 

Piscina para cavalos

A natação para cavalos vem se apresentando como uma prática cada vez mais comum nos países da europa, não somente para animais em tratamento, mas também como uma ferramenta complementar de trabalho e condicionamento para otimizar o desempenho do equino atleta. Entre as vantagens desta terapia estão os benefícios psicológicos, especialmente quando levamos em conta que os animais passam o dia em confinados em baias, toda a energia reprimida pode ser extravasada em uma atividade de baixo impacto em um ambiente seguro e controlado.

hidroterapia para cavalos

Dor, inflamação e dependência de medicamentos para dores podem ser reduzidos, pois é uma forma não concussiva de terapia, especialmente indicada para cavalos com artrite, laminite aguda ou crônica e contusões. Também se mostra eficaz na reabilitação pós-operatória, visto que, com dias de imobilização pós-cirurgica os músculos dos cavalos podem sofrer graves lesões ou até mesmo atrofiar; a natação permite que o cavalo comece a usar seus músculos e sistema cardiopulmonar dentro de 7-14 dias após a cirurgia. A duração do tempo de exercício é gradualmente aumentada enquanto o cavalo recupera a sua capacidade para suportar a atividade mais intensa.

natação cavalos

natação tratamento cavalos

A piscina pode variar de acordo com as necessidades de cada local, no entanto recomenda-se que tenha uma rampa de acesso para uma descida gradual e piso anti-derrapante para maior segurança. Algumas instalações utilizam uma profundidade de 3- 4,50m e a temperatura da água deve girar em torno de 19°C, esta temperatura permite os músculos do cavalo permanecerem relaxados e também o seu corpo liberar o calor em excesso. A água da piscina deve ser completamente filtrada 3-6 vezes por dia e é recomendável que o animal seja lavado antes de depois da natação para eliminar sujeiras e produtos químicos.

como fazer piscina para cavalos

cavalo nadando piscina

Como todo exercício, deve ser feito com moderação pois o excesso pode prejudicar o animal devido a sua postura (pescoço alto) quando o cavalo está exausto de nadar posiciona-se assimetricamente o que resulta em uma tonificação desigual dos músculos envolvidos no movimento. E lembrem-se de que todo tratamento deve ser feito em conjunto com um profissional veterinário especializado na área.

Quer saber mais? Leia sobre as 3 razões para fazer hidroterapia em seu cavalo

Categoria: Manejo e dia-a-dia
Comentários (0) e Compartilhar

left show fwR|left tsN fwR|left show fwR|bnull|||news login fwB tsN fwR tsY uppercase|fsN fwR uppercase|uppercase|news login fwR uppercase|tsN fwR uppercase|b01 uppercase bsd|content-inner||news fl