Arquitetura Equestre

Como a locação das cocheiras pode te ajudar a economizar

Publicado em 22/06/2017 às 11h17

Uma pergunta frequente que recebemos é "qual a melhor posição das cocheiras no terreno?" Não é para menos, uma das decisões mais importantes para se tomar na hora de fazer o seu haras ou instalação equestre que irá impactar diretamente na saúde e qualidade de vida dos cavalos além da eficiência de mão de obra- Levando em conta as rotas, circulações sociais e de serviço (fornecedores de serragem, feno, grãos), drenagem, insolação, ventilação entre outros inúmeros fatores devemos nos atentar para não tornar a localização do estábulo um problema para a salubridade das baias e as fluência das tarefas diárias.

Aqui vão algumas dicas para te ajudar a economizar não só na hora de construir como também durante o período de vida da cocheira:

Levantamento topográfico da área

Ele tem um custo inicial, porém, irá lhe trazer inúmeros benefícios incluindo economia em terraplenagem e drenagem. É possível calcular exatamente onde a cocheira deve ser implantada minimizando a movimentação de terra e diminuindo os custos com tubulação de escoamento das águas pluviais. É comum ouvir "mas meu terreno é plano, não preciso disso", acontece que na maioria das vezes as curvas são imperceptíveis a olho nu (especialmente em grandes áreas).

haras para cavalos arquitetura

Posicionamento em relação ao Norte

Após ter o levantamento planialtimétrico da área, escolhendo uma área mais alta para a locação no terreno, é hora de escolher o posicionamento em função do sol. Esta única decisão tem um impacto enorme na eficiência do pavilhão. Um bom posicionamento em relação ao sol irá ajudar a ter maior eficiencia energética (não acender luzes das cocheiras durante o dia) e deixar o ambiente mais salubre, consequentemente animais mais saudáveis- menos idas ao veterinário e gastos com medicamentos.

COCHEIRA ARQUITETURA

Ventos predominantes

Eles podem ser ótimos aliados ou terríveis inimigos. Vamos explicar o porque: Se você tem um bom posicionamento, terá sempre circulação de ar fresco e mesmo durante o verão não serão necessários ventiladores. Se você tem um animal resfriado dentro do pavilhão com posicionamento ineficiente, a brisa facilmente irá levar este resfriado para o cavalo na baia ao lado que ao contaminar-se pode levar para o cavalo ao lado e por aí vai.

HARAS BONITO PARA CAVALOS

Imagens: Wellington Equestrian Realty , Pinterest

 

Comentários (0) e Compartilhar

Layout de cocheira - Quais são os tipos e uso adequado

Publicado em 08/05/2017 às 15h21

Ao projetar um estábulo ou cocheira, você tem algumas opções de layout de planta baixa. É importante trabalhar com a opção que vá atender de maneira mais eficiente as suas necessidades. Uma cocheira bem projetada deve proteger os cavalos de climas extremos (calor ou frio), levar em conta as tarefas diárias que o espaço demanda, oferecer segurança e conforto para todos que circulam no pavilhão.

Basicamente, temos quatro tipos de layout para as cocheiras, eles são definidos pela localização do corredor e baia dos cavalos.

planta baixa de cocheira para cavalo

Fileira única de baias/ Corredor aberto

Este tipo de configuração funciona somente em lugares de clima ameno (sem estações bem marcadas) especialmente pela sua alta exposição ao ambiente externo. É atrativa por minimizar o número de estrutura em comparação com as outras configurações, desta forma, os cavalos estão mais próximos do ambiente natural, tem mais contato com o exterior o que é benéfico e saudável de muitas formas. Como desvantagem, em grandes estruturas pode aumentar significativamente o tempo de passar o trato e manejo dos animais.

cocheira pequena para cavalos

Corredor central

Forma de layout mais comum encontrada nas cocheiras. Sua planta baixa se mostra eficiente no trato dos animais, também oferece proteção frente as condições extremas de temperatura (altas, baixas e chuvas). Pode ser otimizada se tiverem portas de acesso externas, que além de ajudarem na ventilação também servem para evacuar os cavalos em caso de incêndio.

cocheira bonita para cavalos

Layout tipo ilha com baias de costas

Com dois corredores laterais, esta configuração ajuda a separar a área de circulação dos cavalos. Mantém os animais protegidos do clima externo, porém, oferece pouca ventilação dentro das baias. Ocupa maior área coberta do que a de corredor central, portanto, a não ser que seja imprescindível segregar a circulação ou que os corredores sejam bastante utilizados, este design se mostra ineficiente.

arquitetura para cavalos

Layout tipo ilha com corredor central

Sua planta baixa é constituída por um corredor central e dois corredores laterais.  As áreas de circulação podem ser utilizadas para esfriar os animais após o treino ou até mesmo caminhar um cavalo em recuperação de lesão, se o pé direito for alto o suficiente para que eles possam fazer isso sem se machucar. É a configuração de cocheira que ocupa a maior área de estrutura.

Imagens: DC Builders, Stable Style e Gornall Equestrian Stables,

Comentários (0) e Compartilhar

Luxuosos haras, hípicas e propriedades equestres em Wellington

Publicado em 24/04/2017 às 16h25

Uma das maiores concentrações de propriedades voltadas para os cavalos, considerada um dos 100 melhores lugares para se viver no mundo pela Money Magazine, Wellington, na Florida, iniciou-se em 1953 por um contabilista e investidor muito bem sucedido chamado Charles Oliver Wellington, que comprou as terras que posteriormente formariam a comunidade local.  Em 1995 foi considerada oficialmente uma cidade.

Separamos algumas das propriedades mais bonitas onde além da casa sede, também possuem cocheiras para os cavalos, pistas, campos de polo entre outros equipamentos com foco nos equinos.

Abaixo, com impecáveis 62 acres, esta propriedade possuí instalações para hipismo e polo em um total de cocheiras com baia para 60 cavalos, 6 quartos de sela e 4 quartos de feno e ração. Também tem seu sistema de aspersores automáticos para insetos e andador na aquático. 

haras para cavalos arquitetura

hipica e haras bonito

A próxima atração é a Sunset West Farm, com uma entrada imponente esta propriedade abriga um pavilhão com 26 baias nos melhores acabamentos, dois quartos de sela, dois depósitos de feno e ração, lavanderia, quatro duchas cobertas e uma belissima arquitetura.

arquitetura de haras para cavalos

haras bonito para cavalos

Construída em 2014 a instalação abaixo fica em um terreno menor, com cerca de 4 acres, mas cercado de finos acabamentos. Uma bela pista coberta com forro em madeira de lei, pavilhão com piso intertravado de borracha e 20 baias, dois escritórios e elevador interno estão entre as comodidades do espaço.

arquitetura de hipica

pista de areia coberta cavalos

pavilhão de cocheira para cavalos

Dentro da Grand Prix Village, finalizada em 2007 a instalação abaixo possuí 30 baias, pista de hipismo em tamanho oficial, redondel coberto, casa de funcionários, lounge, administração entre outros. 

arquitetura para cavalos

redondel coberto para cavalos

arquitetura de hipica

Para finalizar, para quem tiver U$45.000.000,00 disponíveis (sim, 45 milhões de dolares) o imóvel abaixo encontra-se a venda, um dos motivos do seu elevado valor é que o lote possuí cerca de 33,5 acres americanos. Com estábulos feito pela conceituada empresa Lucas Equine Equipments, 32 baias divididas em 2 pavilhões com saídas de emergência e cupulas para ventilação nas cocheiras.

haras e hipica para cavalos

varanda rustica cavalos

Para os amantes de cavalos, seja qual for o esporte, Wellington sem dúvidas é um destino "must go" para todos nós. 

 

Comentários (0) e Compartilhar

Loteamentos e condomínio fechado com hípica e haras

Publicado em 28/03/2017 às 15h37

Cada vez mais comuns no Brasil, esse tipo de loteamento já são amplamente conhecidos em outros países da America, é o que chamam "comunidade equestre" ou "condomínios equestres", que é basicamente um condomínio fechado com centro hípico e haras que pode ser utilizado somente pelos condôminos ou aberto ao publico.

Com a correria da vida na cidade, muitas pessoas preferem procurar a vida no campo para fugir da rotina urbana, em resposta a esta demanda, há um interesse recente em empreendimentos habitacionais que refletem um estilo de vida construído em torno de cavalos.

Alguns empreendedores nos procuraram para este tipo de projeto, com muitas dúvidas, vamos tentar esclarecer aqui algumas delas e dar um norte para quem pretende fazer um loteamento equestre seja com centro hípico ou haras.

Que tipo de modalidade fazer em um condomínio com hípica ou haras?

Existem inúmeras modalidades de esportes no Brasil que utilizam o cavalo. Começando pelas olímpicas: Salto, adestramento, CCE e Pentatlo (esta ultima menos comum). Entre as não olímpicas praticadas aqui estão o volteio, atrelagem, rédeas, três tambores, vaquejada, laço, enduro, polo e até mesmo passeio para citar algumas das mais comuns. Com tantas opções, qual escolher? A resposta para esta pergunta vai depender da região onde está localizado o seu empreendimento, do publico alvo e qual a finalidade de montar um condomínio fechado com estrutura para abrigar cavalos (por exemplo, a ideia é atrair praticantes de alguma modalidade ou apenas ter um espaço para relaxar, fazer cavalgadas e passeios a cavalos). Para citar algumas características, o polo é um esporte que utiliza pelo menos 4 cavalos por jogador (por ser exaustivo para o animal), ou seja, é necessário ter um poder aquisitivo maior para praticar esta modalidade já que um cavalo tem custo elevado mensal, o que não funcionaria para condomínios que não são de alto padrão. O tambor é uma modalidade mais western e o hipismo uma modalidade mais clássica.

Que estrutura eu preciso para fazer o loteamento fechado com centro hípico?

Falando dos equipamentos necessários para um haras ou hípica de forma a fazer a instalação funcionar, são:

  • Cocheiras: O pavilhão onde estão as baias é que vai abrigar os cavalos.
  • Quarto de sela: Onde deverão ser guardados os equipamentos utilizados no esportes.
  • Farmácia: É necessária uma pequena farmácia para armazenar equipamentos de primeiros-socorros e pomadas, curativos em geral.
  • Area para Duchas: Onde é dado banho no animal, medicado, onde se faz a crina e manutenções em geral no animal. Podem ser cobertas ou descobertas, é recomendável que tenha cobertura para que mesmo em dias de chuva possam ser executadas tarefas (como ferrar o animal por exemplo).
  • Composteira: Área para compostagem de cama (esterco).
  • Depósitos: Feno, cama, grãos, maquinário (trator, roçadeira, rastelo,etc).
  • Embarcadouro: Uma rampa com fechamento lateral para descer com os cavalos do caminhão. Hoje em dia, trailers são muito utilizados e possuem rampa própria, mas ainda é necessário um embarcadouro.
  • Piquetes: Os cavalos precisam ter uma área para relaxar, brincar, descontrair, especialmente se é um condomínio de casas de campo (onde normalmente os moradores vão só de final de semana) e os cavalos ficam "parados" nos dias de semana. Separe uma boa área para esta finalidade.
  • Pista, picadeiro: A não ser que seja um local somente para passeio (e ainda assim é recomendável) é necessário ter uma pista para que os alunos possam montar. O tamanho dela pode variar de acordo com a modalidade de esporte (laço, tambor, hipismo clássico, adestramento, etc.) e o número também.

 Pista de areia, grama, coberta ou descoberta e quantas?

Aproveitando o gancho do último tópico da pergunta acima, esta também é uma dúvida frequente entre os empreendedores que gostariam de fazer um condomínio hípico ou com haras. O número de pistas vai depender do número de modalidades (você pode abrigar mais de uma) dentro do loteamento com hípica, por exemplo, uma pista oficial para tambor tem dimensões diferentes de uma pista oficial para salto, também é difícil praticar as duas modalidades dividindo a mesma pista. A situação ideal é: ter uma pista pequena para os alunos que estão iniciando poderem praticar em um ambiente mais controlado e uma pista maior para os que estão mais avançados. Pistas de grama são recomendáveis somente se o condomínio for abrigar polo ou competições de grande porte de salto. Sobre a cobertura da pista, por ter um custo elevado não é tão comum neste tipo de empreendimento, muitos desejam ter a estrutura indoor mas se assustam na hora do orçamento, acredito que um condomínio mesmo que alto padrão possa ter uma estrutura excelente mesmo sem ter um picadeiro indoor.

Qual a área necessária para abrigar uma hípica ou haras?

Esta provavelmente é a pergunta mais difícil de responder. Isto porque ela pode variar muito (e quando digo isso é muito mesmo) do programa de necessidades do local. Mas posso afirmar que dificilmente você conseguirá abrigar cavalos em uma área menor do que 10.000m², mesmo que seja o que chamamos de manege (uma pequena instalação equestre).

Qual o número de cavalos que meu condominio equestre deve abrigar?

Esta também é uma dúvida frequente, estima-se que cerca de 30% dos condôminos residentes neste tipo de condomínio possuem cavalo. Se a finalidade do loteamento fechado com hípica é apenas para moradores praticarem o esporte a conta é mais simples (levar em conta que cerca de 40% destas pessoas possuem mais de um cavalo), porém, se o condomínio irá abrigar eventos equestres e será aberto a aulas para o público externo, costumo recomendar que as cocheiras comecem com um número pequeno (24 é o número ideal de baias por pavilhão) e tenha previsão de expansão em projeto.

Para citar alguns condomínios aqui no Brasil que abrigam hípica, centro equestre ou haras:

Quinta da Baroneza

Haras Larissa

Fazenda Boa Vista

Terras de São José

 

Comentários (0) e Compartilhar

Instalações para haras, hípica ou rancho - Facilitando sua vida

Publicado em 15/03/2017 às 09h28

Generalização não é uma palavra que se encaixa na hora de construir um haras, há um enorme número de variáveis, tais como: terreno, finalidade ou modalidade do haras, orçamento, clima e por aí vai. Estas variáveis tornam o bom planejamento crítico para o sucesso do projeto.

Planejar uma instalação é refletir sobre quais são suas necessidades dentro daquele projeto e em seguida pensar qual a melhor forma de suprir todas elas de maneira eficiente. A idéia é fazer algo rentável e evitar fazer algo que irá te custar muito mais caro mais a frente.

Todos os problemas dentro de uma cocheira que afligem seu proprietário podem ser resolvidos. Algumas soluções são de baixo custo. Muitas delas não são. Mas lembrem-se de que todas elas tem o melhor custo-benefício se forem planejadas antes de executadas.

Considerações sobre o terreno:

A posição da cocheira para os cavalos deve ser uma consideração cuidadosa. Por exemplo, a orientação do celeiro para o vento e sol deve ser levada em conta. O ideal é capturar brisas de verão para o efeito de resfriamento. Os telhados podem ser projetados para aproveitar a iluminação natural especialmente no inverno, com projeções planejadas para fornecer sombra para um efeito de resfriamento durante o verão. As árvores devem ser estimadas como uma ferramenta de projeto para fornecer sombra e para servir como quebra-ventos, além de proporcionar privacidade. Boa drenagem de água também é essencial para manter uma cocheira saudável, como água parada e áreas lamacentas são propícias para priliferação de insetos e doenças.

Imagem que seu haras passa aos clientes:

Este é um tema que costumo abordar pouco, mas de extrema importância. Alguns preferem ser práticos e pouco planejados, outros preferem que seu haras ou hípica diga algo especial sobre eles. Já parou para pensar na imagem que este local esta passando para seus futuros clientes e proprietários? Um haras bonito pode valorizar seus animais, sua estabulagem e até suas aulas por apresentar uma boa infraestrutura. Já vi muitas estruturas que custaram alto para o bolso do proprietário e no entanto não eram ruins e ineficientes, também já vi estruturas de baixo custo que eram seguras e eficientes. O resultado final depende do planejamento, um haras bonito e bem feito não precisa necessariamente ser caro.

Segurança e saúde dos cavalos:

Levando em conta o fato de que nossos cavalos podem se machucar de maneiras que nunca passaram pela cabeça de nenhum proprietário, a pratica de eliminar tomadas sem proteção, pequenos vãos dentro das baias, bordas e cantos vivos, é básica.

Cocheiras com ventilação natural inadequada são uma das principais causas de problemas respiratórios em cavalos resultantes da poeira, odores e germes que se proliferam pelo ar estagnado tornando o ambiente insalubre.

O principio da ventilação dentro de um pavilhão deve funcionar como o efeito chaminé. O ar quente sobe e é eliminado por uma abertura que deve ficar na cobertura, o problema maior é certificar-se de que este ar irá realmente subir. Para isto, o desenho da inclinação do telhado é um elemento crítico e deve ser calculado com atenção. No Brasil, os telhados não costumam ser tão inclinados, mas é importante que a cobertura esteja no mínimo a 38% para se alcançar o efeito desejado, desta forma irá funcionar como um funil invertido levando o ar quente para o pico ou cume do telhado.

Neste sentido, uma das formas mais comuns e economicas de permitir que o ar escape na parte superior é ter um canal de ventilação contínua em toda face superior do pavilhão. Soluções "mecânicas" de exaustão costumam não ser tão eficientes pois estão sujeitas a falhas e  constante manutenção. As cúpulas que vemos constantemente em estábulos de referência fora do país não são meramente decorativas, elas tem a função de fazer com que o pavilhão funcione como uma máquina de ventilação natural.

Agora que sabemos sobre as aberturas no topo da cocheira, como fazer com que esse ar se movimente no pavilhão? Um dos métodos mais eficazes é ter aberturas em todos os sentidos do celeiro, nas portas de entrada, por exemplo, é recomendável ter aberturas (que podem ser venezianas semi abertas). Além disso, a divisão entre as baias em grelhas, além de permitir o contato visual dos animais e sua socialização, também estimulam a circulação de ar. No sentido lateral do pavilhão também é importante ter a ventilação cruzada, com um rasgo em toda face superior das portas você terá sempre a brisa fresca entrando.

Outra questão importante é a segurança contra incêndios, que em muitas construções são negligenciadas (veja aqui algumas dicas em nosso post anterior). Alvenaria e estrutura metálica não são combustíveis, no entanto, existem muitas outras coisas dentro de uma cocheira que são, como feno, serragem, madeira, fiação elétrica, entre muitos. Não existe um pavilhão a prova de fogo, existem medidas preventivas para este tipo de situação. Mezaninos com depósito de feno, apesar de serem uma solução atrativa para construções que tem um estilo mais romântico, oferecem um altíssimo risco de incêndio, além de comprometerem a ventilação superior.

Questões gerais para construção de uma cocheira

Ao longo dos anos foram estudadas muitas soluções para este tipo de construção que vão desde a madeira até o pré-moldado. A alvenaria tem se mostrado uma ótima solução de custo-benefício, com baixa manutenção e segurança. A principio pode não ser a solução de custo mais baixa, porém, a longo prazo este custo é mais do que diluído em suas vantagens.

Outra grande qualidade de construção de alvenaria é que você pode conseguir qualquer imagem ou aparência desejada. A superfície pode ser revestida com inúmeros acabamentos cerâmicos ou brutos disponíveis no mercado ou até mesmo madeira, se assim o proprietário desejar. Uma opção econômica é a pintura, se for esse o caso, uma pintura epóxi é durável e facilmente limpa.

Para a parte elétrica, deve ser toda embutida ou protegida com eletrodutos, também é importante usar as tomadas com tampas articuladas, que evitarão que a umidade e outros elementos acabem deteriorando as saídas.

Como em todas as outras construções, há um grande número de soluções para a parte do telhado, que podem variar desde uma telha cerâmica, metálica, de fibrocimento. A mais recomendável é a telha tipo termoacústica, que permite um conforto térmico para os animais e ao mesmo tempo tem uma camada de eps que minimiza os ruídos, além de ser mais eficaz contra goteiras e vazamentos de águas pluiviais, por ter uma grande superfície de cobertura e um menor número de encaixes.

Facilitando a vida dentro de uma cocheira

Manter seus cavalos felizes e saudáveis ​​nem sempre é o sonho que pensávamos que seria. E se você trabalha com lotação máxima, pode ser uma aventura que consome todo seu tempo. Mas aqui vão algumas idéias que farão seu trabalho mais agradável:

Concentre os equipamentos (farmácia, quarto de sela, depósito de grãos, duchas) no centro do pavilhão, isso irá facilitar a vida de todos, pois resulta em menos passos para a rotina diária.

Se você tem um grande problema com insetos (isso é maior ou menor em algumas regiões do país) instalar pulverizadores automáticos pode ser uma boa solução e bem menos custosa do que você imagina.

Portas de correr apresentam inúmeros benefícios sobre as portas de abrir, podem evitar acidentes que venham a te custar caro no final. Portas de abrir tendem a ficar no caminho de outras atividades e não são tão fáceis de abrir quando se tem um cavalo na mão. Se você tem uma porta de correr e um carrinho passando ração no corredor ao mesmo tempo, a porta pode continuar 100% aberta. Além disso, os animais tendem a ter mais facilidade em aprender a abrir portas do tipo batente.

Comentários (0) e Compartilhar

Depósito de feno - Dicas para armazenar com qualidade

Publicado em 21/02/2017 às 10h36

Para manter os fenos com qualidade (sejam eles para alimentação dos seus próprios animais ou para fornecimento) é necessário um bom armazenamento. Um design estrutural e funcional são fundamentais para manter a qualidade do feno em seu depósito.

Estruturalmente, a edificação em que será armazenado o feno deve suportar as intempéries, ventos que podem destelhar o galpão, chuvas e cargas diversas. A parte funcional diz repeito a conveniência do acesso e manipulação do feno, o tipo de base (ou piso) que estará sob seu feno fazendo com que ele ao entrar em contato não se deteriore.

Um projeto funcional deve levar em conta:

  • Seleção do local
  • Material de base e preparação do terreno
  • Circulações e acessos
  • Controle de drenagem e escoamento de águas pluivais
  • Separação de incêndio e segurança
  • Projeto de construção para proteção contra intempéries
  • Controle de ventilação e condensação

Planejamento do depósito de estocagem e armazenamento de feno

A capacidade deve ser estimada com base no tamanho e formato dos fardos que cada proprietário preferir. Lembre-se de que ao calcular a área é necessário levar em conta altura, largura e profundidade. Também há que deixar uma circulação prevista para manuseio ou manipulação de empilhadeiras (isso pode variar de acordo com tamanho/ modelo do maquinário que cada um dispõe).

O local onde será construído o depósito é crítico para o sucesso do armazenamento. Deve levar em conta dois fatos: Drenagem e acessos.

Drenagem: O ideal é que o piso do depósito de feno tenha pelo menos 15cm de desnível para o piso externo. Considere também a possibilidade de expansão do edifício.

Acessos: Deve ser considerado um acesso conveniente para o carregamento e retirada do feno, especialmente se haverá operação de comercialização. As vias e áreas de manobra devem permitir o acesso de veículos de grande porte.

Outro item a ser levado em conta é a segurança do local quando o assunto é incêndio. Uma distância de ao menos 20 metros do depósito de feno para a cocheira dos cavalos pode reduzir significativamente o tempo de propagação do fogo e aumentar as chances dos bombeiros controlarem o fogo caso venha a acontecer.

A construção do depósito de feno

Existem alguns tipos de estruturas que podem ser utilizadas para edificar seu depósito. Para que se tenha feno de alta qualidade o importante é que elas levem em conta galpões que oferecem proteção total contra o tempo, incluindo chuvas e o branqueamento com o sol. Como resultado este tipo de estrutura acaba sendo mais cara para executar do que uma simples cobertura, porém é um investimento que vale por muito tempo.

Controle de ventilação

O armazenamento deve permitir a troca de ar, quer por ventilação natural, quer por um sistema de ventilador. Isto é desejável para eliminar a umidade.

Comentários (0) e Compartilhar

Lindo centro equestre em Bali

Publicado em 01/02/2017 às 17h03

Estava fazendo uma pesquisa para uma viagem pessoal e adivinhem se sempre não acabamos "esbarrando" nos cavalos?rs

Encontrei esse centro equestre em Bali, super charmoso e cheio de estilo. É aberto ao publico para recreação (todas pagas, claro) e possuí a seguinte infraestrutura:

"Temos três pistas de areia iluminadas para acomodar todas as atividades. Nosso indoor possuí 25m x 65m e inclui espelhos para ajudar nos movimentos de adestramento, enquanto a nossa pista descoberta de 30m x 90m ao ar livre é equipada com obstáculos de saltos profissionais. Para crianças a área mais segura é nosso indoor 20m x 20m, dando-lhes uma área menor, enquanto eles estão aprendendo a controlar seu pônei. Atualmente, estamos trabalhando na construção de um paddock de cross country, com alguns obstáculos naturais.

O Bali Equestrian Center está convenientemente localizado em Berawa, Canggu, que fica a apenas 10 minutos das movimentadas ruas de Seminyak e 3 minutos das praias de surf popular da costa ocidental. Nosso centro é cercado por belos campos de arroz, aldeias locais e tem uma vista espetacular das montanhas ilha interior e região vulcânica.

Nossas Instalações Equestres Incluem:

42 estábulos e 18 baias de lavagem

Pista de hipismo para salto e adestramento

8 Paddocks da grama

1 Paddock de Areia

1 Pista para pôneis "

Texto de referência e imagens: B.E.C

Comentários (0) e Compartilhar

Dicas para refrescar seu cavalo no verão

Publicado em 26/01/2017 às 08h46

O verão pode ser ótimo para montar a cavalo, aproveitar passeios no final da tarde, mas também pode ser perigoso para os nossos animais. Desidratações, mal estar e até cólicas causadas por diarreias de um mal-estar severo estão entre os perigos desta estação.

dicas para o calor em cavalos

Vamos postar aqui algumas dicas da Escola de Medicina Veterinária New Bolton Center, para ajudar a manter o seu cavalo saudável e fresco no verão:

1. Intercale os tempo de baia e pasto. Se o seu cavalo tem uma baia que é voltada para a face oeste, o ideal é mante-lo longe dela durante o final do dia, solto em um piquete. O pernoite é ideal, pois durante a noite as paredes das baias no oeste tendem a permanecer quentes. Mas caso isso não seja possível retarde o máximo que puder a volta do seu cavalo a baia.

2. Fornecer sombra. Se o seu cavalo já vive ao ar livre ou se ele costuma estar fora durante o dia, é necessário fornecer alívio do sol. O ideal é uma área coberta tipo galpão, as árvores são uma fonte de sombra, mas como o sol se move, assim será a sua sombra; Caso não seja possível construir um galpão, garantir que, independentemente da hora do dia, as árvores estão fazendo sombra.

3. Movimente o ar. Não somos fãs de ventiladores, já falamos sobre este assunto aqui algumas vezes, além de levantar o pó eles podem ser perigosos para os cavalos. O ideal é que o pavilhão tenha saídas de ar em 3 níveis: Superior (cobertura), médio (janelas e aberturas laterais) e baixo (abaixo do nível da porta para eliminação da amonia).

4. Umidificadores de ar. Se você é afortunado bastante ter um sistema umidificação no seu pavilhão, o ideal é que faça uso dele. Como a umidade é absorvida da pele dos cavalos,  eles vão eliminar uma certa quantidade de calor.

5. Fornecer água fresca, sempre. Certifique-se de que seu cavalo tem muita água fresca e fria. Um balde pendurado em uma cerca de pasto ou dentro da baia por muito tempo ficará quente e a água não será mais ideal para o consumo dos animais.

 6. Diminua a intensidade do trabalho.  Não pense que porque está acostumado a trabalhar seu cavalo por 1 hora ao meio-dia no inverno será a mesma coisa no calor do verão. Especialmente em lugares onde a umidade é alta contribuindo para a má qualidade da respiração do animal.

7. Permaneça na rotina. Tente manter o máximo possível uma programação para todos os dias. Muitas alterações na rotina do animal podem levar a cólica.

8. Os cavalos também se queimam no sol. Especialmente os brancos, aqueles com manchas ou nariz rosados. Lugares com falhas de pelo ou cicatrizes também são mais suscetíveis a queimaduras. Procure sempre evitar o sol forte e se possível, passe protetor nessas áreas.

9. Tosquiar o cavalo. Especialmente quando estiverem com os pelos grandes, ao mesmo passo que podem oferecer proteção contra o sol, eles também retém grande quantidade de calor tornando mais difícil a tarefa do cavalos "esfriar". Ao tosquiar, fique atento para não cortar o pelo muito perto, já que ele também oferece proteção contra os raios solares.

10. Observe seu cavalo. Seja atento a todos os sinais de que ele pode estar sofrendo uma desidratação ou até mesmo uma crise de calor. Refresca-lo com uma ducha sempre pode fazer bem.

Você deve saber a temperatura normal do seu cavalo, coração e frequências respiratórias. Para encontrar a frequência cardíaca de um cavalo, basta encontrar um pulso e contar as batidas por 15 segundos, em seguida, multiplique esse número por quatro, que dará as batidas por minuto. Contar as respirações por minuto de forma semelhante.

Sinais de insolação podem incluir:

Uma frequência cardíaca elevada que não retorna ao normal em um período de tempo razoável;

Suor excessivo ou falta de sudorese;

Depressão e / ou letargia; e

Sinais de desidratação: membranas mucosas secas, reabastecimento capilar deficiente e turgescia fraca da pele.

Se você está preocupado que seu cavalo está sofrendo uma crise de calor, chame seu veterinário imediatamente e leve o seu cavalo a um ambiente mais fresco.

Comentários (0) e Compartilhar

Como acabar com as moscas em cocheiras

Publicado em 16/01/2017 às 09h08

como acabar com as moscas em cavalos

Algumas sugestões para vencer a batalha contra as moscas nos estábulos (por L.A.Pemeroy, EquiSearch)

A primeira regra da guerra tática ‘conheça seu inimigo’, também se aplica à batalha contra os infiltrados zumbidos em seu celeiro. Seja conversando com uma Escola de Medicina Veterinária ou com o prietário de um rancho todos concordam que o controle da mosca envolve uma combinação de ataques e quanto mais aprendemos sobre os nossos pequenos inimigos, melhor armados estamos para ganhar a guerra.

Fatos da vida da mosca

Diptera, moscas, são a história de sucesso do mundo dos insetos. Eles são os únicos insetos voadores que têm duas, ao invés de quatro, asas. Eles vêm em mais de 120.000 espécies em formas e tamanhos variados. As suas dietas variam bastante. Algumas larvas comem outras moscas, enquanto outras não comem nada. E podem viver em qualquer lugar - no solo, água doce, plantas do mar e, sim, nossos cavalos.

Não estamos apenas olhando para um exército de insetos. As moscas são a Unidade de Forças Especiais.

Não há como evitá-los. Desde que os seres humanos começaram a viver em casas e manter animais em celeiros, a mosca doméstica tem sido um companheiro constante.

Assim, apesar dos argumentos do seu vizinho, os cavalos não atraem moscas. Moscas já abundam em áreas rurais e suburbanas. "As moscas têm de existir", diz Koyla Renaas, professora de Equine Management na Universidade de Massachusetts em Amherst. "Elas contribuem para a nossa cadeia alimentar, mas você pode controlá-las." E deve.

As moscas têm causado estragos históricos em cavalos e gado. A espécie Simulium (mosca preta) espalhou a "comichão doce" e, em 1923, a mosca Golubatz matou 20.000 animais domésticos (incluindo cavalos) na Roménia, Bulgária e Iugoslávia através de mordidas e doenças.

Elas também podem transmitir algumas doenças humanas desagradáveis - febre tifóide, disenteria, tuberculose, conjuntivite...

Duas moscas podem produzir 1,8 milhões de pares reprodutivos em apenas 12 semanas. Detenha-as antes que comecem.

A moscas vivem em qualquer lugar, mas você pode fazer da sua fazenda um ambiente menos ideal.

moscas cavalo baia

Veja como manter mais baixos esses números:

- Mantenha o ambiente limpo. "A limpeza é o seu aliado número um", diz Renaas. Remova o estrume diariamente. Mantenha-o seco espalhando-o. Varra a grama cortada e as folhas.

- Cubra tudo. Cobrir pilhas de esterco com plástico para evitar os ovos de moscas. Limpe o feno e grãos derramados no trato.

- Use aditivos. Os aditivos alimentares em blocos minerais atravessam com segurança sistemas digestivos equinos e matam larvas em estrume fresco, eles "envenenam o estrume e se tornam tóxicos para as larvas, enquanto permanece seguro para os cavalos", diz a Dra. Laura Armel, da divisão de Ambulatório do Hospital de Grandes Animais.

- Escoe a água. Elimine as poças estagnadas através de uma boa drenagem, despejando e esfregando baldes e instalando ralos sob torneiras externas.

- Limpe os baldes. Esfregue e remova o resíduo da alimentação para evitar que as moscas se alimentem aí.

- Coloque uma tampa. Cubra as caixas de comida para impedir as moscas de desfrutar delas. Não deixe sacos abertos, tanto para eliminar que derramem como para manter moscas de fora.

- Retire o lixo. O lixo é o equivalente ao 'boudoir romântico' de uma mosca. Mantenha-o longe de seu celeiro.

- Localização correta. Construir celeiros longe de áreas molhadas, de baixa altitude.

Você também pode tentar algumas dessas medidas para monitorar populações de mosca:

- Use telas. A criadora árabe Rebecca Bowland optou pelas telas em suas portas de celeiro. Na Escola Tufts, diz o Dr. Carmel, eles são inflexíveis sobre manter as portas protegidas e fechadas.

- Coloque fitas para moscas. Cheryl Lekstrom, em Windcrest Acres em Massachusetts, coloca fita adesiva nas janelas e portas para pegar intrusos. "Eu as renovo com frequência, a colocação da fita adesiva é lenta, mas funciona."

- Pinte as baias. Use uma tinta que repele moscas. Alguns produtos, como a tinta iseticida, podem ser usados para pintar exteriores de edifícios.

- Tranças. Trançar crina e cauda com fitas quimicamente tratados com repelentes de mosca em manes ou caudas. Bay State Trail Riders membro da Associação Pat Gillespie tece ramos de pinheiro nas tiras de freio quando sai a passeios em bosques. "O perfume forte do pinho mantêm as moscas afastadas."

- Deixe seu cavalo fazer o trabalho. Quando seu cavalo está solto, deixe-o rolar na lama para fazer seu próprio repelente natural de moscas. Caudas e crinas longas, também oferecem proteção.

- Experimente armadilhas. Dr. Carmel faz armadilhas de um frasco de plástico, cheio de gordura de frango ou outra carne apodrecendo. "As moscas entram, ficam presas e não conseguem sair."

- Boa gestão. A linha básica para ganhar a guerra contra as moscas remonta à manutenção básica de seu celeiro e das áreas em torno dele. Não só vai ajudar a terminar o seu problema com elas, mas também irá ajudar a proteger o seu celeiro, proporcionando um ambiente de trabalho agradável, limpo e seguro.

 

Artigo traduzido da Equus Magazine

Comentários (0) e Compartilhar

Mantendo cavalos estabulados felizes com estímulos sociais

Publicado em 27/12/2016 às 11h21

Atualmente, a  maioria dos cavalos passa boa parte do seu tempo dentro de baias. Seja por limitações de áreas para pastagem, por cuidado com o pelo e limpeza ou até para proteger um animal valioso de se machucar com suas "brincadeiras" durante as horas de descanso cavalos estabulados são uma realidade que todos nós enfrentamos. Ao mesmo tempo, como cavaleiros, somos encarregados de manter nossos cavalos saudáveis ​​e felizes, sabemos que a interação social com outros cavalos é importante para esta missão. Como você mantém seus cavalos estabulados ​​felizes? Fornecer estímulo social é uma grande parte deste enigma.

Um design arquitetônico eficiente pode oferecer respostas de diversas maneiras para este problema. Seu estábulo  pode ser construído para proporcionar tanta socialização entre as baias quanto possível, ou você pode reformar suas cocheiras atuais para oferecer algum refúgio do tédio das ultrapassadas paredes sólidas.

baias para cavalos

Meias paredes são uma ótima maneira de permitir aos cavalos a interação frequente com seus vizinhos de baia. Mais comuns na Europa, paredes mais curtas entre as baias podem permitir que os cavalos vejam fisicamente seus vizinhos (promovendo um sentimento de segurança e relaxamento para estes animais), bem como tocar narizes,  comunicar e até mesmo cuidar uns dos outros. Depois de um período inicial de "se conhecer ", todos, exceto os cavalos mais territoriais, normalmente desfrutam da companhia de ter vizinhos à vista e alcance.

As divisórias vazadas entre baias são outra maneira de dar aos cavalos alguma garantia visual de que não estão sozinhos, sem o mesmo acesso que uma meia parede. Você pode colocar barras ao longo da parede toda da baia, como uma frente com barras na metade superior, ou apenas adicionar uma janela com barras ou uma grade entre as baias. Se você tem cavalos frequentemente circulando dentro e fora das baias e a mudança constante não permite que os vizinhos se acostumem um ao outro, esta abordagem de divisórias vazadas é uma boa maneira de adicionar estímulo social à vida de seus cavalos.

A frente de baia aberta, que dispensa completamente as barras dianteiras. Eliminar as barras ou grelhas e dar o seu cavalo uma gama mais ampla de visão é uma ótima maneira de permitir que eles tenham uma visão panorâmica do corredor e interagir com os vizinhos na baia ao lado. Naturalmente, o corredor precisa ser grande o suficiente para permitir que você, seus clientes e seus alunos circulem com segurança, enquanto os cavalos estão inclinados para fora de suas baias. Ainda assim, os cavalos tendem a se acostumar a compartilhar seu espaço quando eles são autorizados a se inclinar para fora das barracas melhor do que quando eles são fechados por barras, então com o tempo,  todos podem se ajustar a essa filosofia.

Portas em gola, portas do tipo holandês (com a parte superior removível) e outros tipos de portas abertas são uma contribuição pequena, mas extremamente importante, para proporcionar estímulo social. Mesmo se por questões de segurança você mantém suas baias completamente fechadas e seus cavalos separados, pelo menos, permita que os cavalos possam olhar para fora de sua baia, ver outros cavalos e acompanhar a atividade na cocheira  vai ajudar a manter esses animais sociais em um ambiente seguro e descontraído.

Outras maneiras de fornecer socialização extra para seus cavalos estabulados ​​incluem adicionar uma área externa cercada em cada baia, que permitem que seus cavalos possam conversar e socializar um com o outro sobre a cerca.

Não importa como você escolhe oferecer oportunidades sociais para seus cavalos, você estará aprimorando suas vidas, oferecendo-lhes um estilo de vida "mais próximo da natureza"! Fazendo cavalos felizes: afinal, não é disso que se trata?

Via: Equine Facility Design 

Imagens: Lucas Equine

Comentários (0) e Compartilhar

||left||||news b01 c05 bsd|b01 c05 bsd|b01 c05 bsd|news login b01 c05 bsd|c05|b01 c05 bsd|content-inner||news fl